segunda-feira, 28 de março de 2011

VERDADE E ILUSÃO


Quando você fala em um “Eu”, a quem você está se referindo?
“Eu sou infeliz”
“Eu estou confuso/sou confuso”
“Eu sou um buscador da Verdade”
Nada disto é verdadeiro. São identificações com idéias, sentimentos e conceitos, mas não é quem você é. Seria melhor dizer: “Eu sou consciência e a infelicidade está surgindo dentro desta consciência.”
“Eu sou consciência e estou identificando-me com a confusão que está surgindo dentro da mente dentro de tal consciência”.
“Eu sou consciência e estou me identificando com uma crença de que eu não sou desde já perfeito e estou procurando por algo mais que pode surgir de outro lugar, que vai fazer minha mente perfeita.”


Exatamente agora
Neste momento...
Abandone todas as crenças...
E veja!


Shanti

PERGUNTA DO NASRUDIN


Nasrudin postou-se na praça do mercado e dirigiu-se à multidão:

"Ó povo deste lugar!
Querem conhecimento sem dificuldade?
Verdade sem falsidade?
Realização sem esforço?
Progresso sem sacrifícios?"

Logo juntou-se um grande número de pessoas com todo mundo gritando:

"Queremos, queremos!"

"Era só para saber," disse o Mullá.

"Podem confiar em mim, contarei a vocês tudo a respeito caso algum dia descubra algo assim."

A PAZ DE QUEM VOCÊ É AGORA


Você está procurando experiências espirituais? Você não é as experiências. Experiências são fenômenos. Fenômenos vêm e vão, mas você é a testemunha constante a todas as experiências e a todos os fenômenos. Você quer ver Deus? A experiência de ver Deus pode ir e vir, mas você é a testemunha constante a todas as experiências e fenômenos. Este estado de Testemunha, esta Pura Consciência absoluta é em si não-diferente do que quer que você conceba como Deus. Não subestime isto. De modo algum avalie isto. Abandone toda avaliação, todo julgamento, toda intelectualização e habite a paz de quem você é.

Shanti

TUDO É NATURALMENTE NATURAL


Perguntaram ao sábio iluminado Ramesh Balsekar, que ensinava Advaita Vedanta, se as práticas espirituais eram importantes. Ele respondeu:

"Durante 20 anos fiz práticas com um guru que também era advaita, mas dava práticas tradicionais e ensinava de modo a aliviar todo tipo de sofrimento. (...)Depois que me aposentei, li um artigo sobre Nisargadatta Maharaj escrito por Jean Dunn no the Mountain Path. Quando subi as escadas para o sobrado de oara encontrar meu guru Maharaj pela primeira vez, As primeiras palavras de Nisargadatta foram: “Até que enfim você veio, não foi? Venha e sente-se.” Portanto, se alguém tem o dom da cura, por que não? O dom da astrologia, da psicoterapia, por que não? Eu não perdi vinte anos antes de encontrar Maharaj. Tudo é uma preparação para a próxima cena. Então, se alguma força misteriosa dirige você para alguma prática, eu aconselho você a não se afastar dela ou a não abandoná-la. Aceite-a, tente-a. Se posteriormente essas práticas espirituais ficarem pelo caminho, deixe-as. E se acontecer, minha única sugestão é, não sinta-se culpado por isso. É um acontecimento sobre o qual você não tem controle."

O LIMITADO É IMAGINADO


Deus é infinito. Ele está além dos opostos do bem e do mal, certo e errado, virtude e vício, nascimento e morte, prazer e sofrimento. Tais aspectos duais não pertencem a Deus. Se você toma Deus como uma entidade separada, Ele se torna um termo na existência das relações.
Assim como o bem é a contraparte do mal, Deus se torna a contraparte de Não-Deus; e o Infinito passa a ser olhado como o oposto do finito. Quando você fala do infinito e do finito, você está se referindo a eles como dois; e assim, o Infinito se torna a segunda parte da dualidade. Mas o infinito pertence à ordem não-dual de ser. Se o infinito é visto como a contraparte do finito, estritamente falando, ele já não é infinito, mas sim, uma espécie de finito; pois está fora do finito como seu oposto, tornando-se assim, limitado. Já que o infinito não pode ser a segunda parte do finito, a existência aparente do finito é falsa. Apenas o infinito existe. Deus não pode ser levado ao nível da dualidade. Há somente um ser na realidade, que é a Alma Universal. A existência do finito ou do limitado é somente aparente ou imaginária.

Meher Baba

A FONTE E SUAS MANIFESTAÇÕES


Deus é a eterna fonte da vida e do poder. As diferentes almas no mundo compartilham dessa vida e poder em vários níveis de acordo com sua proximidade espiritual a Deus. Quanto mais próximos estamos de Deus ou da verdade, menos separados nos sentimos e maior é nossa vida e nosso poder. Aqueles que se tornam um com Deus são o infinito reservatório de todo o poder, vida, sabedoria e felicidade. Mas os outros compartilham igualmente tudo isso em um grau limitado, de acordo com sua estação no universo. Se o mestre que realizou Deus for comparado a uma central de energia elétrica principal onde a eletricidade é gerada, as outras almas podem ser comparadas a centrais secundárias ou a baterias de armazenamento que recebem e conservam um grau limitado de eletricidade e também podem usá-la dentro dos limites de suas respectivas capacidades .

Meher Baba

O DISCÍPULO DE GURDJIEFF


Pergunta: A lembrança de si era uma característica do antigo conhecimento esotérico?

Ouspensky: Sempre, em toda a parte. Apenas algumas vezes, nas escolas religiosas, por exemplo, foi designada por um nome diferente. Isso não é arbitrário. É uma etapa necessária em nosso desenvolvimento, não uma tarefa imposta arbitrariamente. É preciso passar por ela e só se pode passar de uma forma.

Pergunta: Cristo alguma vez falou sobre ela – com quais palavras?

Ouspensky: Em cada página. Palavras diferentes.
Por exemplo, ‘Não durmai’, ‘Vigiai’ – todo o tempo.

O EU REAL TRANSCENDE O TEMPO


Pode haver espaço, pode haver tempo, exceto para mim mesmo?
O espaço e o tempo me atam apenas se sou o corpo.
Eu não estou em nenhuma parte, eu sou sem tempo.
Eu existo em toda parte e sempre.

Ramana Maharshi

sábado, 26 de março de 2011

NIETZSCHE FALA



A vida vai ficando cada vez mais dura perto do topo.


As convicções são inimigas mais perigosas da verdade do que as mentiras


Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas.


O que não provoca minha morte faz com que eu fique mais forte.


Para a maioria, quão pequena é a porção de prazer que basta para fazer a vida agradável!


Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal.


Torna-te aquilo que és.


Não procure por felicidades, graças bem-aventuranças distantes e desconhecidas, mas por aquilo que você gostaria de viver de novo e por toda a eternidade.


Não pretendo ser feliz, mas verdadeiro.


O inimigo mais perigoso que você poderá encontrar será sempre você mesmo.

SÓCRATES FALA


Meu conselho é que se case. Se você arrumar uma boa esposa, será feliz; se arrumar uma esposa ruim, se tornará um filósofo.


Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses.


O verdadeiro conhecimento vem de dentro.


Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância.


Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância.


Não penses mal dos que procedem mal; pensa somente que estão equivocados.


O homem faz o mal, porque não sabe o que é o bem.

sexta-feira, 25 de março de 2011

NATURALIDADE


Perguntaram a um mestre: "Porque você ensina?"

Ele respondeu: "Por que um pássaro canta?"

Um Curso em Milagres


Lição 1
“Nada do eu que eu vejo nessa sala nesta rua, nesta janela, neste lugarsignifica algo”


Sendo assim, essa lição inicial é ensinar um profundo ensinamento. Ensinar quer dizer que nada que alguém veja significa algo. Essa lição nos ensina que o mundo é neutro e o significado que ele tem para nós deriva dos pensamentos que prolongamos ou projetamos nele. Nós não vemos simplesmente com os nossos olhos físicos; na realidade, nós vemos com a nossa mente. A maioria das pessoas pensa que coisas externas, pessoas ou acontecimentos levam-nas a pensar ou sentir o que devem fazer. Essa é a ilusão que o curso nos ensina. Essa lição inicial tem o objetivo de nos ajudar a quebrar o antigo sistema de “consciência de vítima” do ego negativo e nos mostrar que vida não é nada mais que estender e projetar nossos pensamentos para o mundo e tudo o que vemos são nossos próprios filmes.


Anonimo

quarta-feira, 23 de março de 2011

O REAL NÃO PODE SER AMEAÇADO


O Grande segredo é que não há nada fora de nós.
Todo e qualquer julgamento é um auto-julgamento!
Nada pode nos atingir de verdade porque não há nada fora...
A crença da mente é julgar o que nós vemos.
A reversão disso é tomar consciência de que tudo está acontecendo na própria mente.
E seu eu percebo que tudo é um sonho da mente, uma viagem da mente, estou livre.

Sambodh Naseeb

segunda-feira, 21 de março de 2011

UMA VIDA DENTRO DA VIDA


As escrituras dão o testemunho da verdade.
Elas são uma confirmação para o homem que já viu.
As escrituras não podem te dar a verdade,
mas elas são o testemunho da verdade.
Acordando,
você lê uma vida dentro da vida
e o que ali está escrito
foi você mesmo que escreveu!

Sambodh Naseeb.

QUEM VOCÊ É?


Você acredita que pode fazer uma diferença.
Você acredita que a sua dor é culpa sua.
Você acredita que pode fazer melhor.
Você acredita que é responsável.
Você acredita em todo o tipo de merda.
Ram Tzu sabe isso:
Quando Deus quer que você faça algo,
você acredita que é a sua própria idéia.

(Wayne Liquorman)



Fonte: Blog Satyaprem - http://satyaprem.blogspot.com/2011_02_01_archive.html

APROXIME-SE DE PESSOAS QUE FALEM SUA LÍNGUA


Não é porque todos o entendem que você vai encontrar Paz. É porque você entende, que você encontra Paz. É você quem vê como as coisas são e dá sentido a elas.


Eu o convido a seguir comigo. Se isso não for para você, seja honesto. E se for: fique quieto! Isso já é suficiente. Se você assumir que é Paz o que você quer, por trás de tudo que tem buscado, então estamos conversando.


Participante – Paz e Liberdade são a mesma coisa?


Sim. A mesma coisa.

Participante – Eu vim aqui para compartilhar com amigos. Da mesma maneira que você comenta ter dificuldade em falar “a nossa língua”, eu tenho dificuldade em me comunicar com pessoas do meio em que vivo. Parece que nós não estamos falando a mesma língua. Agora, isso que você disse a respeito de eu entender as outras pessoas, ainda não tinha percebido... Eu me sentia isolado. É com pouquíssimas pessoas que consigo me comunicar.


Esqueça as outras pessoas e reúna-se com aqueles que o entendem. Se você quer manter essa chama acesa, junte-se às pessoas que estão ouvindo e compartilhando o mesmo. É exatamente isso que você tem de fazer. Ou você se reúne com as pessoas que compartilham o mesmo ponto de vista ou fica nesse drama: “Oh! Ninguém me entende!”


Pondere: o que está fazendo no meio dos gregos, se você é um troiano? Busque um lugar onde os troianos estejam e compartilhe a sua riqueza com os troianos. Cresça dentro disso! Troianos, aqui nesse contexto, são aqueles que estão “sonhando o mesmo sonho”, vendo o mesmo que você.


O que quero dizer, usando essa metáfora, é que esse núcleo deve manter a chama acesa. Compartilhar com pessoas que estejam tendo a mesma perspectiva é primordial. Você deve entrar nos ambientes (e não são muitos) onde seja compartilhada, sem sombra de dúvida, a mesma coisa. Na maioria dos ambientes onde se parece falar a mesma língua que estamos falando aqui, se prestar bem atenção, estão prorrogando. Na verdade, não estão falando a mesma língua. Parece, mas não é a mesma língua.


Reúna-se com aqueles que cantam a mesma canção que você está cantando.

Blog do Satyaprem - http://satyaprem.blogspot.com/2011_02_01_archive.html

domingo, 20 de março de 2011

NATUREZA


Se aproximar da natureza é uma meditação natural.

Simplesmente porque essencialmente SOMOS a natureza, parte intrínseca dela.

Se aproximar dos bons amigos é também uma meditação natural.
Simplesmente porque essencialmente SOMOS todos uma única energia no universo.
A conexão com a natureza e com os amigos é uma conexão consigo mesmo!


Sambodh Naseeb

sexta-feira, 18 de março de 2011

DESFRUTAR



Tudo é impermanente, e ao mesmo tempo essa impermanência é uma coisa muito bonita. Ela nos dá uma urgência de estar presente aqui-agora. Já que é impermanente, não mate antes que isso desapareça. Desfrute. Curta cada momento. É sempre novo, é sempre uma nova oportunidade para o amor, para cantar, para dançar, para sorrir, para abraçar os amigos. Cada instante é uma oportunidade de celebrar o presente de estar vivo, consciente, aqui-agora.

Sambodh Naseeb

AQUI


Fique
onde seu corpo está
sempre aqui-agora
sempre disponível
sempre belo
sempre ao seu dispor...
Fique
com seu corpo
neste momento
e respire paz...

Sambodh Naseeb

A IMENSIDÃO CELESTE


A razão do sofrimento humano, dizem os sábios, é que nos identificamos com nossos pensamentos e emoções do passado, e não com nosso Ser que está sempre aqui-agora, no presente, e em paz. Podemos perceber que o envolvimento com o passado "mancha" o que podemos chamar de "momento presente". Com a visão e o treinamento correto, podemos inverter esta identificação. De modo que, mesmo que surjam pensamentos passados, eles não toquem e nem sequer sejam sentidos como "conflitos", exatamente como as nuvens escuras passam pelo céu sem arranhar de forma alguma a imensidão celeste.

Sambodh Naseeb

O CONVITE DA NÃO-DUALIDADE


Todo o foco da nossa atenção foi treinado para focar objetos.
O que são objetos? São o conteúdo da consciência. Pensamentos, sentimentos, emoções, imagens do mundo exterior, sensações.
Este é o fluxo que continuamente passa por nossa consciência.
Estamos conscientes de um ou de outro, em nossa vida diária.

Qual é o convite da não-dualidade?
Começarmos a voltar nosso foco para um lugar que não contém fluxo nenhum!
Uma devoção e uma amizade a um espaço que não contém objetos!
E onde está este espaço? Como podemos fazer isso?

É preciso investigar. É necessário ser muito curioso em relação a isso.
O buscador é um cientista, e sua mente é seu laboratório.
Temos que aprender a olhar para dentro, para a própria natureza da mente.
Esta amizade franca com a mente, com seus meios, com o modo da mente existir é o que vai aos poucos abrir espaço a uma Presença SEM objetos, e portanto, um local novo e inexplorado, que contém uma vida e uma energia totalmente inéditos.

Então poderemos vivenciar o fato de que A CONSCIÊNCIA PURA QUE SOMOS NÃO CONTÉM OBJETOS.
É esta consciência sem objetos que buscamos quando dizemos que queremos PAZ.

Sambodh Naseeb

quinta-feira, 17 de março de 2011

AMOR


Você pode ter uma bela esposa. Quando estão separados um do outro, você pode visualizar seu encanto, sua forma, sua inteligência e todas as suas qualidades. Mas chega o momento em que todas as qualidades desaparecem e há apenas um ser. Não há mais alguma imagem de um amado ou uma imagem de um amante. Há apenas amor. Isto é o que quero dizer quando afirmo que você não é nem os sentidos nem a mente. Você é este amor.


Como posso libertar-me desta imagem de mim mesmo?

Torne-se plenamente consciente da idéia que você tem de si mesmo. Este “eu” é um objeto que você pode conhecer. Você conhece seus desejos, medos e ansiedades, mas quem é o conhecedor? Você nunca pode objetivar o conhecedor porque você é ele. Então, seja o conhecedor. Não tente encontrar-se em algum lugar em uma auto-imagem porque você não está em parte alguma. Não procure por si mesmo!

JEAN KLEIN

O CORPO É UM PENSAMENTO!


Quando o corpo morre, a consciência permanece?

O que é o corpo? O corpo é um pensamento, uma invenção da mente. Quando você olha para o céu, onde está o corpo? Quando você olha para o céu, onde está o homem? Há um homem? Há apenas visão do céu. Sem o pensamento de ser um homem, não há homem. Você tem a idéia de um corpo, mas na realidade ele não existe. O corpo, o homem, são formas de pensamento.
Você não desperta de manhã. É a idéia de um corpo que desperta em você. O que há antes que o corpo desperte?
Você é!

JEAN KLEIN

EU MESMO NO MEU CAMINHO


Descançar no silêncio...
Devotar-se ao nada, largar a agenda, relaxar os ímpetos...
Ficar consigo é radicalmente esquecer de tudo (por agora, por um instante)
Ficar consigo é revelar o essencial que é...
Que é, que fica, que eternamente está aqui...
Sem forma, sem modelo, sem cópia, sem imitação...
Como imitar o nada? Como copiar o que não existe no pensamento?
Onde o pensamento não vai é onde moro na mais pura realeza...
E onde o perfume do que sou sempre brilhou enquanto eu me impedia pelo excesso de mim...
Porque quando meu umbigo é maior que minha visão pura...
Imagino que sou um pensamento!

Imagino que estou num problema!

Imagino que preciso me libertar!


Sambodh Naseeb

quinta-feira, 10 de março de 2011

EXERCÍCIO QUANDO EM SOFRIMENTO


Quando estamos em sofrimento, podemos fazer o seguinte: sentar confortavelmente e fechar os olhos.


1. Abandone a idéia de que a dor é ruim. Sofrimento e dor são energias. Bom ou ruim são rótulos mentais. Abandone-os.

2. Fique com a sensação que o sofrimento lhe dá no corpo. Não julgue a dor. Sinta em que parte do corpo ela aparece. Largue a idéia de que você não devia estar sentindo isso. Acomode-se com este sentimento porque você é maior que ele. Deixe-o ali.

3. Não evite a dor, mas simplesmente tente descobrir se há uma mensagem por trás. O que isso está querendo apontar em sua vida? No que você precisa despertar?

4. Fique em silêncio respirando no ponto de sua dor. Não faça nenhuma história, não julgue, não analise. Sinta e deixe vir as mensagens - se vierem.

5. Depois de uns 20 minutos é possível simplesmente sentir algum silêncio aparecendo por trás da dor. Preste atenção a todo espaço de silêncio e relaxamento que surgir. Relaxe nisso. Agradeça à existência pelos momentos de aprendizado com seu sofrimento.



Sambodh Naseeb

quarta-feira, 9 de março de 2011

RELAXANDO NO QUE EU SOU


O único sujeito que existe em mim chama-se CONSCIÊNCIA.
Quando posso relaxar, vejo perfeitamente que tudo que aparece para mim são objetos.
Pensamentos, emoções, sensações, são objetos na CONSCIÊNCIA.
O que acontece se eu descanço na CONSCIÊNCIA QUE SOU?
O que acontece se descubro que nenhum pensamento, nenhuma emoção, e nenhuma sensação pode afetar a CONSCIÊNCIA QUE EU SOU?

Se posso sentar e descançar NAQUILO QUE EU SOU, relaxamento é natural.
O que EU SOU está sempre relaxado pela própria natureza.
O que EU SOU está sempre por trás dos pensamentos, das emoções, e das sensações, que aparecem e desaparecem na tela da CONSCIÊNCIA.
Preciso então, descobrir e experimentar esta descoberta.
Ninguém pode me dizer isto.
Isto pode ser indicado, mas uma indicação não é uma experiência real.


Sambodh Naseeb

quinta-feira, 3 de março de 2011

RELAXANDO NA PRESENÇA DE VOCÊ MESMO


Esta vida é uma vida de polaridades! Os opostos são complementares! A mente não pode ver além dos opostos. Mas, se você muda seu ponto de vista da mente para a não-mente, há um percebimento de que a resposta não mais interessa. A resposta virá da mente! Eu permaneço em silêncio. Quanto mais me aquieto, mais silêncio. Veja: a dualidade continua, mas em meu íntimo, o silêncio de Si mesmo abraça toda a dualidade, envolve com amor e aceitação qualquer resposta, porque qualquer resposta é a resposta do silêncio. Silêncio contém e está além de todas as respostas. Envolvido pelo silêncio, você simplesmente relaxa. ESTE relaxamento vai soltar seu corpo físico, mental, e emocional, que você em breve estará dizendo que há algo tranqüilizando seu corpo e sua mente. Este algo é a sua presença. Esta presença reaparece quando o foco de minha atenção vem para Mim, ou seja, para a Presença, para a Fonte. Esta Fonte é o amor que sentimos, a conexão com a energia pura da vida.

SAMBODH NASEEB

terça-feira, 1 de março de 2011

A REALIDADE É FELICIDADE


A VERDADE QUE PODE MUDAR TUDO:

A felicidade não depende do que está acontecendo em sua vida!



Sambodh Naseeb

A REALIDADE É SATSANG


Procuramos por alguma coisa neste momento que não seja deste momento.

Extases, kundalinis subindo, chacras se abrindo, orgasmos celestiais, sempre alguma coisa que não é exatamente o que está acontecendo aqui - a simplicidade do viver de cada momento.

É uma pura simplicidade olhar para um lago ou um rio.

É uma pura simplicidade sentir a beleza de nossos passos.

É uma pura simplicidade amar cada palavra de sua boca, cada sentimento que sai do peito.

É uma pura simplicidade levantar todo dia e sentir o corpo renovado, tomar o café, ir ao trabalho.

Satsang não é uma procura pelo amanhã, nem a realização de qualquer desejo que a mente tenha - incluindo iluminação ou perfeição. Mas sim ter o poema do instante no peito, no sangue e nas vísceras, o poema e o canto de cada momento, como ele é, em sua pura simplicidade amorosa e gentil.
Nós somos convidados em Satsang a relaxar na realidade. Este relaxamento é o percebimento claro e possível da beleza e o encanto que existe no início, no meio e no fim de todos os acontecimentos da vida diária. As palavras apenas indicam a possibilidade. A boca saciada de satsang será agraciada com um toque macio e perfumado de um coração tranquilo. Este momento é perfeito quando os olhos vêem transparência e estão vazios. Todas as ações acontecem como tem que acontecer - porque qualquer ação é a simplicidade de cada timbre desta música. O amor está sempre aqui. Quem é capaz de ver? Quem é capaz de ouvir a melodia que o coração sussurra em prece todos os dias de sua vida?


SAMBODH NASEEB

A REALIDADE NÃO TEM HISTÕRIAS RUINS


Sim, a realidade é absolutamente simples. Ela é o que é, a cada momento. Se minha parceira me deixou me deixou, como eu reajo? Nós simplesmente não aceitamos. Cremos que há algo errado. Não pode estar certo, afinal está em desacordo com os nossos propósitos! Queríamos viver a vida inteira com aquela pessoa! Ficamos nos perguntando o que fizemos de errado. E nos culpamos, nos magoamos, guardamos no íntimo a sensação de que estamos “pagando” por algo errado que fizemos, ou em alguma “vida passada”, e que na verdade “poderíamos” estar vivendo algo melhor, ou mais especial, e este fato não deveria ter acontecido assim. Não desse modo. Não comigo. Por que comigo?? É incrível a nossa capacidade para negar e brigar com a realidade! O ego sempre diz: “Por que comigo??”

Meu conceito de realidade aqui é bem simples: Aquilo que está acontecendo, mas, SEM AS HISTÓRIAS QUE FAÇO SOBRE AQUILO QUE ESTÁ ACONTECENDO.

Quando percebo que a realidade está conectada com uma rede de inter-relações, e que tudo pode acontecer de um certo jeito por algo maior e superior à minha pequena vontade egóica, então estou começando a fazer as pazes com a realidade. A realidade é simples e bondosa. Se posso perceber que minha namorada tem uma vida individual e que tudo que ela deveria viver ao meu lado é exatamente o período que viveu, e que agora ela precisa aprender algo com pessoas diferentes e seguir seus aprendizados na vida, então posso novamente relaxar na realidade e SEGUIR O PROCESSO CRIATIVO DA VIDA.

A realidade é o que está acontecendo!

SAMBODH NASEEB

A REALIDADE ESTÁ ALÉM DO EGO


E mais: a realidade não é algo pessoal! Ela não está interessada exatamente em mim, porque eu não existo sozinho, mas sou um feixe de energias que funciona numa rede de freqüências e vibrações chamada corpo/mente. Mas a vida não acontece PARA mim. Essa necessidade de que a vida acontecesse para mim é a FALA DO EGO. O EGO é aquilo em mim que me separa dos outros, da natureza, da vida, de toda conexão natural que tenho com tudo, já que não existo separadamente de absolutamente nada. Se pudéssemos olhar para a nossa volta observando a energia que tudo é, as moléculas em movimento, os elétrons aparecendo aqui e ali, teríamos uma prova clara de que tudo está inter-conectado. O UNIVERSO ESTÁ INTERESSADO NO UNIVERSO COMO UM TODO. O EGO é que está interessado apenas em mim mesmo!

SAMBODH NASEEB

A REALIDADE NÃO É PESSOAL


Se a realidade não é pessoal, podemos dizer mais uma coisa: o sofrimento é a visão de que tudo é pessoal. O sofrimento é sempre decretado por um ego, por um eu, por uma pessoa que está negando o que está acontecendo.

Quando as tradições espirituais dizem para você se abrir, sair do centro das atenções, sair do próprio umbigo, parar de achar que a vida lhe deve algo, é exatamente neste sentido: A REALIDADE NÃO É PESSOAL.

A realidade é um movimento da vida em direção a um novo momento. Mas nós queremos congelar momentos. Queremos fixar emoções. Queremos segurança. Queremos que tudo que está bom continue do mesmo jeito, e tudo que está ruim nunca mais aconteça. Mas a realidade não é ruim. O que é ruim é o que eu ACHO da realidade. O que está acontecendo não pode me causar sofrimento, mas sim o que EU ACHO E CONTO PARA MIM MESMO EM MINHA CABEÇA SOBRE O QUE ESTÁ ACONTECENDO. Isso sim cria sofrimento.

SAMBODH NASEEB

A REALIDADE É O PRESENTE



Então, são as histórias que fizemos sobre a realidade que limitam a nossa experiência natural. A experiência natural é simples, e está sempre acontecendo. Acordo pela manhã e tenho de ir ao trabalho. É uma experiência natural e boa. Mas se há em minha cabeça histórias sobre como será meu dia, geralmente negativas e limitantes, então, o que estou criando em cima da realidade natural, da experiência natural? Estou criando uma experiência mental negativa.

Mas, se na próxima vez que levantarmos pela manhã, pudéssemos relaxar na realidade e amar tudo que está acontecendo, desde o acordar até o tomar um bom café, se tudo pudesse ser feito com atenção e carinho, se tudo pudesse ser feito sentindo o meu corpo presente, meus sentidos despertos, cada momento bem acordado, sem fazer nenhuma preparação mental negativa ou positiva em relação ao meu dia, o que teríamos?

Já fiz esta experiência e digo como foi: a realidade é boa e relaxante.

SAMBODH NASEEB

A REALIDADE É AQUILO QUE É


Quando não estou fazendo nenhuma história na minha mente, quando não estou interessado no que aconteceu ou no que acontecerá, quando estou amando estar neste momento fazendo o que estou fazendo, a realidade se abre para mim. Eu não estou impondo nada ao momento. E percebo que o momento é maravilhoso. Ele já é maravilhoso naturalmente, sem o meu toque, sem as minhas histórias, sem as minhas metas, sem a intervenção do meu ego.

Nós podemos notar que o ego é aquilo em nós que está sempre dizendo que ALGO ESTÁ FALTANDO!

Então, saiba: sempre que você sentir que algo está faltando, olhe pra dentro e note que sua mente está inventando um novo problema. A mente é simplesmente assim – ela cria problemas do nada!

SAMBODH NASEEB

A REALIDADE É SEMPRE BOA E PERFEITA


Na realidade, NUNCA há nada faltando, porque a realidade é algo que já está completa NESTE momento como ela É. Quando eu começo a discutir ou brigar com a realidade é que nasce o sentimento de que ela está incompleta. Mas realidade incompleta é algo que criamos a partir de nossas expectativas de como as coisas deveriam ser. Nós imaginamos que determinadas coisas deveriam acontecer, ou que algum evento em nossas vidas não poderiam ter acontecido. A realidade é que tudo é como é a cada momento, e a partir de nosso mau entendimento desta Lei da Vida, nós criamos sofrimento para nós mesmos. Posso mudar meu modo de viver, e isto estará dentro da realidade novamente.

SAMBODH NASEEB