sábado, 23 de janeiro de 2016

PONTO DE REFERÊNCIA FALSO



Desejo parar os pensamentos. Como posso fazer isto? Não consigo um minuto sem ser importunado por esses pensamentos...


Descubra quem está sendo importunado. Quem é você? Veja que existe um ponto de referência chamado eu (que é falso) que deseja parar de pensar. Quem é este ponto de referência? Um pensamento. Se você ficar quieto, não fizer nada, e simplesmente ser quem você é agora, você deixa de colocar energia no pensamento. Sem energia ele perde força. Lembre que todo pensamento é vibração. A sua atenção e interesse o nutre. Se você não fizer nada, ele evapora. Se você fizer alguma coisa, a energia aumenta, pela atenção que você dá. Então o segredo dos segredos é: Veja-se agora como liberdade, como aquilo que é sempre livre. Dê um sorriso e note sua Presença. Breves momentos de atenção correta, e você verá o quão simples isto é.

Sambodh Naseeb 

EU



Imagine que a Consciência que você, EU, é o pano de fundo para tudo que acontece no seu universo. Do mesmo modo que a tela branca do cinema aceita o filme, EU está junto do filme da vida sem jamais apegar-se. O apego aos dados é a aparente ilusão da mente, que julga ser o EU. Seja o espaço vazio EU e observe os dados. Note que os dados mudam, mas EU continua recebendo outros dados. O EU pode ficar vazio também. E depois voltar a receber dados. Você (EU) é o que permanece. Quando os dados aparecem, quem se importa? Quem se importa com a mente se você se identificar com o espaço?

Sambodh Naseeb

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

TUDO É UNO


Mas e como explicar as formas feias e as atuações dos homens em termos de maldade, como molestadores de crianças e assassinos?

Tudo faz parte da Totalidade da criação. Depende dos seus óculos. Se estiver usando óculos de lentes vermelhas, tudo aparecerá vermelho. Se os óculos forem puros e transparentes, você vê tudo é, sem distorção. Se a sua mente está vivendo um momento de separação da Consciência, ou seja, se ela não está reconhecendo ainda sua fonte, se está fechada em si mesma na sua pequena inteligência, então você funciona dentro de uma visão limitada, pertinente aos seus instintos e desejos. Se a mente está em luta, em briga, em oposição, basicamente vivendo o tempo inteiro em torno da raiva, da mentira, do ciúme, da inveja, do orgulho, da avareza, da luxúria desenfreada, então é natural que ela experimente sofrimento e dor. É natural que adoeça psicologicamente e fisicamente. E quanto mais tentar satisfazer os instintos e desejos sem se conectar com a Fonte de Si (Consciência Pura), mais desejo e insatisfação virão.
Um amigo meu dizia sempre: “O sofrimento está sempre aí para quebrar nossa resistência à evolução”. Então o sofrimento amigo vem como um irmão que nos ajuda a sair do marasmo, da falsa segurança, da ignorância, das ilusões, da auto-sabotagem. No momento certo a Consciência acorda no corpo humano. O início do acordar chama-se busca espiritual. O desabrochar desse acordar chama-se iluminação, que é quando você sabe, sem sombra de dúvida quem você é, e tudo é vivido na pura aceitação do fluxo da Inteligência Universal. Então você e a Vida são irmãos. Você e a Vida são Um. Comunhão é sentida porque você sabe que na aparência das coisas tudo parece separado, o seu corpo e o corpo de seu amigo parecem dois corpos, mas em essência você sabe que o espaço onde os corpos estão é um só – e você em essência é este espaço onde os dois corpos estão.
O oceano é Uno, ondas são muitas. O Espírito Universal é apenas um, e ele permeia tudo que existe. Se você é o Espírito Universal, se você é a Consciência Pura, ou se você é o Buda (Vazio Consciente, Luminoso e Pleno), você está em tudo. Você é tudo e está em tudo. Você é a essência de tudo e ainda a aparência de tudo enquanto viver num corpo e mente que vê as aparências. A mente é o instrumento para ver as aparências. Consciência é o instrumento que promove sabedoria, que vê a aparência como mera aparência, um pensamento como mero pensamento. Mente é o óculos que usamos temporariamente. Consciência é nossa mais pura nudez e o reflexo mais puro do absoluto.


Sambodh Naseeb

SAT SANGHA


Satsang é um dar-se conta de que você, como Consciência, está presente em todos os estados da mente (feliz, triste, raivoso, inseguro, corajoso, tímido, expansivo ou retraído). Quer você esteja triste ou alegre, você é está consciente disso. ( O que muda é a mente, o conteúdo da experiência).

 Quando satsang desperta, esta Consciência desperta, isto não é mais uma experiência diferente que você tem. Toda a experiência vem e vai. Toda a experiência tem um começo, assim, terá certa duração e um fim. Satsang não é uma experiência. Satsang é o reconhecimento de que aquilo que você é de verdade é a Consciência, e ela está presente em todos os estados evolutivos da mente, da ignorância à sabedoria. É um reconhecimento profundo, uma mudança de identidade da mente para além da mente, de forma que você tem a experiência de que você como abertura e essência não sofre o que a mente cria.

Sambodh Naseeb