sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

DA TEORIA À PRÁTICA


É muito importante lembrarmos, dizia Ramana, que neste mundo estamos sujeitos as leis do karma, ação e reação, e que por meras palavras dizer que somos livres e podemos fazer o que quisermos não significam muita coisa. Nesse caso, a mente alerta, que tanto falam os zen-budistas, pode ser uma boa ferramenta para manter a vigilância e a observação constantes no caminho.


"É verdade que nao estamos aprisionados. Que dizer, para o EU REAL não há prisão. e também é verdade que cedo ou tarde você retornará a sua Fonte. Mas enquanto isso, se você cometer más ações, como você as chama, você terá que enfrentar as suas consequências. Você não pode escapar disso. Se um homem lhe bate você pode dizer: "Eu sou livre, eu não sou afetado pela surra e a dor não existe em mim. Deixa ele continuar batendo?" Se você realmente chegou a esse ponto você pode fazer o que quiser, caso contrário, qual é a utilidade de dizer apenas em palavras que você é livre?"

(Ramana Maharshi)



NAMASTE,
SWAMI SAMBODH NASEEB
__._,_.___

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

TRANSIÇÃO 2008-2009




As novas conexões com um nível mais elevado de realidade e de ser, estão lenta, mas certamente sendo implementadas por nós agora. Este processo foi longo, envolvendo quase todo o ano de 2008! Parecia que 2008, o ano dos novos inícios, envolveu o alinhamento com o novo, assim como a desconexão do velho, e tirou muito de muitos de nós.
Enquanto mantínhamos o velho espaço por tanto tempo, a fim de que um número suficiente da massa crítica pudesse agora incorporá-lo, nós tivemos então que passar por um processo de deixar ir tudo o que estivemos mantendo por tanto tempo. Como eu mencionei na última mensagem de ASAS, muitos de nós estávamos absolutamente quites, mas ainda no velho espaço, o que não parecia tão bom! Ao sermos bombardeados por energias de vibração menos elevada, sentíamo-nos perdidos e desconectados, e certamente, bem afastados de nossas fontes de poder e de conexão (isto é, sentimentos de energia mais elevada que costumávamos incorporar!) eram expressões muito comuns deste estágio. A porta não tinha ainda se aberta para o próximo nível para nós, e cenários desconfortáveis estavam sempre presentes. Era quase como que retornar no tempo. (...)






Karen Bishop






Para ler mais:


MATURIDADE


Olá amigo Kumara,

É isto que digo!
Será que não precisou de todas essas terapias e experiências de vida para voce estar neste momento aí com Ramesh e sentindo esta gratidão toda pelos ensinamentos e os toques preciosos do Nirav? Quem pode dizer que sim? Quem pode dizer que não? rsrs...

Só posso dizer uma coisa: chega um ponto em que o encontro com o guru acalma todas as coisas. Larga-se todas as terapias, todas as experiências nada mais significam, a não ser aquilo que não pode ser experienciado por ser realmente O QUE ÉS!

Kumara, o meu caminho começou com Buda em 1986, com dezessete anos, e culminou com minha iniciação com Osho em 1993, com 24 anos de idade. Mas foi só a partir de 2001 que as coisas começaram a tomar um novo e profundo entendimento. Conhecí o Advaita pelo Nirav, Ramesh, Ramana, Nisargadatta, e foi um aprofundamento maravilhoso. Houve momentos nestes anos de extase profundos onde por longos períodos algo muito profundo acontecia comigo e eu não tinha ninguém para compartilhar - porque sabia que nao tinha como falar ou ao menos ser entendido por alguém que não tivesse tido experi~encia semelhante. Como o meu destino sempre foi ser autodidata e minha intuição sempre foi meu guia maior, fui trabalhando naturalmente o que a vida me pedia no momento. Para mim hoje não importa. Não vejo diferença na terapia, na meditação e nos satsangs, porque ambos fazem parte da escola da vida que nos empurra mais e mais em direção ao UM. Estou a serviço dos mestres. E esta devoção é sempre meu ponto de partida.

PAZ NO CORAÇÃO,

Swami Sambodh Naseeb.

QUESTÕES


Oi João! Que bela pergunta!

Quando escreví os tópicos, minha intenção era simplesmente criar reflexões para muitos que recebem esta lista. Há muitos que participam silenciosamente, pessoas que não estão nem em terapias nem frequentando satsangs. Acho bom podermos abrir o leque...já que hoje me sinto bem mais maduro para falar sobre isto. Esta lista tem algo maravilhoso que o Nirav propõe: este espírito ecumênico. Acho louvável ter-se mantido por tantos anos este grupo, já que foi através dele que conheci Nirav e depois Ramesh, Nisargaddata, Ramana.

Bem, vamos às questões:


Voce disse: Acho bem legal as terapias Naseeb, e realmente épossível perceber melhoras em muitos casos. Só achoque elas não sejam algo sempre funcione, e isso nempor culpa do terapeutizado ou da terapia. Acho issouma coisa importante de salientar.


Concordo com você, Joao. Neste mundo nada funciona sempre. Nem mesmo satsang. E na terapia nao podia ser diferente: Depende do terapeuta, do terapeutizado, da vontade da vida. Mas sempre temos que ter em mente uma coisa: funcionar o que? para encontrar Deus a terapia nao funciona. O que ela pode ajudar é a mostrar por exemplo as projeções que estamos acostumados a fazer quando estamos apegados às visões da mente racional limitada.
Cada um vai por onde se sente inclinado a ir de acordo com o fluxo de seu aprendizado no momento. Nada é garantido. Ir para dentro do desconhecido e incerto é um dos pontos vitais do buscador da verdade. Há detalhes a serem vistos sempre: O terapeuta é um meditador? É um buscador da verdade? Tem algumas realizações? Quando Osho falava que a terapia poderia ajudar a levar as pessoas a real meditação e aos satsangs ele queria dizer que o terapeuta tem que ter uma visão da unidade por ele mesmo. A maior parte dos terapeutas trabalha apenas com o ego, sem jamais apontar a seus clientes a necessidade de transcendência. É nesse ponto que para mim a terapia não tem sentido. Se você tem uma noção do trabalho de Osho verá que ele não foi apenas um grande mestre, mas foi também um grande curador e terapeuta. Até de hipnose ele falava como de grande ajuda ao meditador...Então, lembremos, tudo tem um contexto.



Você disse: Sobre a sua resposta anterior, vc usa um termo comonos sermos forças criadoras... vc quer dizer com issoque podemos moldar nossas percepções e experiências amaneira que desejarmos?


O que naturalmente acontece é que podemos atrapalhar o fluxo natural da expressão da vida neste corpo. A expressão do EU REAL é pura criatividade. Mas a expressão do EGO é de reatividade, automatismo e repetição. Não é uma questão de conseguir o que voc~e deseja, porque no momento atual muitas coisas que você deseja nao vem de você, porque você como entidade NAO EXISTE. Os desejos de uma mente imatura a levará a mais e mais desejos. É a mente que possui certos desejos distorcidos pela sua ilusão em acreditar que é isto ou aquilo que a satisfará. Com o trabalho nos 3 primeiros chacras, o campo material de vibração muda, e "desejos" reais de crescimento surgem. Exemplo de desejo real? A vontade de encontrar Deus em si mesmo. A vontade de expressar seu ser com autonomia e coragem. A vontade de ser voc~e mesmo!

Quanto a terapia, muitos exemplos podem ser dados. Exemplo: se voce percebe em que seu pai não é aquilo que voce pensava e se dá conta de que estava distorcendo os fatos de quando era criança devido á sua própria mente já ter tendência latentes, a sua relação com seu aspecto masculino interno irá mudar, e com isso, novas possibilidades se abrem no infinito campo vibracional do mundo manifesto. Digamos assim: em termos de organização mental e emocional, devido aos lixos energéticos que juntamos, a terapia pode ser um bom começo na jornada. Mas detalhe: sempre junto com a meditação!

Terapia não irá levá-lo a iluminação, pois ela não foi desenhada para isso. Mas irá facilitar o "modus operandi" no seu deslocamento pelo mundo, isso sim.
Tenho um modelo de trabalho que é o seguinte: os 3 primeiros chacras podem ser trabalhados em terapias energéticas, então o quarto, o chacra do coração, se abre naturalmente. A partir de então, meditação, satsangs, auto-investigação, presença na energia dos gurus serão necessários para atravessar os outros centros.
Este é um trabalho que chamo de Autoconhecimento Integral. Você é Um, mas quando se vê através da mente você pode dividir-se em 7 pontos, para faciltar a operacionalidade do trabalho em Si.

É muito difícil o trabalho dos mestres e orientadores, porque eles precisam falar do começo, do meio e do fim. (Não existe começo, meio e fim em realidade, MAS PARA VOCÊ, no momento em que estás, ISTO EXISTE)
E aqueles que estão no início da jornada muitas vezes anseiam pelo fim. Então deve-se falar do começo. E aqueles que já passaram pelo começo precisam ouvir sobre o fim (satsangs), porque a jornada só termina quando o eu desaparece por completo.


BOAS FESTAS PARA VOCÊ!
PAZ NO CORAÇÃO!

Swami Sambodh Naseeb

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

DEUS É VOCÊ


Deus é o aspecto divino do seu SER.

Nada há separado de VOCÊ.

Quando você ora para Deus, está simplesmente colocando uma intenção criativa

para seu EU DIVINO.

Você não é separado de Deus.

O criador está na criatura.

A meditação é o instrumento que lhe clareia sobre sua realidade de felicidade.


SWAMI SAMBODH NASEEB

VOCÊ É O CRIADOR!



Respeitando todo os pontos de vista deste grupo de buscadores, apenas compreendo algumas coisas que estão sendo discutidas a meses aqui de um ponto de vista diferente...
Essas palavras longe de serem verdade sao apenas para reflexões...A essência do caminho ao qual assimilei me trouxe alguns insights que podem ser úteis a alguns buscadores. A essência do ensinamento é sempre a mesma, mas o enfoque pode mudar. É muito sutil o que quero apresentar aqui, e será fácil ser mau interpretado. E se não servir o chapéu em você, continue seu caminho com a maior força, afinal cada um é único e cada caminho é singular. Mas mesmo assim, vamos lá:

Nao precisamos complicar tanto assim as coisas sobre destino e vontade de Deus...
O pessoal já ouviu de Osho dizer: "Não há Deus" e mesmo assim não compreendemos quando os sábios como Ramesh falam.

Faça suas escolhas e decisões, porque no nível relativo é você quem imagina fazer...
Os resultados nao podem ser previstos, entao porque falar em destino ou livre-arbítrio?
Conheço pessoas que não fazem coisas importantes em sua vida devido ao mau entendimento do que Ramesh quer dizer...... e depois vem com racionalizações tipo "é assim que deveria ser".........e essas mesmas pessoas quando assumem a responsabilidade por sua vida mudam o pensamento e passam a experimentar outras coisas........ou seja, são as crenças que fazem as pessoas experimentarem o que experimentam...e não precisamos falar em vontade de Deus ou o que quer que seja...

Aí vem o argumento: "Mas as crenças que voce terá vai depender da vontade do universo".

Resposta: "Sim, mas de que adianta saber disso, que é parte da vontade do universo? Isto é óbvio que é parte da vontade do universo. Mas você nunca vai saber de nada a partir disso. É apenas uma boa teoria para a grande maioria das pessoas. O fato é que você é a força ativa do universo AGORA. Não existe separação entre a vontade de Deus e a do Universo, logo, esqueça completamente da vontade do universo porque a SUA vontade é a vontade do universo. Isso significa que existe um MAR de possibilidades na Sua caminhada e essa é a grande brincadeira. E o alinhamento espiritual é simplesmente SER DEUS A CADA INSTANTE. SER CRIADOR A CADA INSTANTE. Não há DUAS vontades! Aquele que ainda está confuso sobre essas vontades (vontade de Deus e vontade do Ego) devem saber que só existe duas vontades se VOCE NÃO ASSUME A REALIDADE DO UM. Se você assumir a premissa básica do Advaita, não cairá mais desta dúvida.

Outro ponto: Você só pode falar que uma coisa FOI vontade do universo. Nunca poderá falar que SERÁ vontade do universo, porque seria insano dizer sobre algo que não aconteceu. Por conseguinte, depois que as coisas já aconteceram é que USAMOS o termo "FOI VONTADE DE DEUS", "FOI A VONTADE DO UNIVERSO", para podermos relaxar e olhar para o que É com maturidade.

Há pessoas que querem resolver com satsang seus problemas financeiros, suas dúvidas conjugais, conseguir isto e aquilo...

E essência do que compreendo ser a mensagem dos sábios é: não há duas vontades, logo, ser voce mesmo é uma coisa muito simples: SEJA VOCÊ MESMO! ASSUMA A RESPONSABILIDADE POR VOCE MESMO!
É SÓ VOCE QUE EXISTE.
O EGO É UMA SOMBRA? SIM.
MAS COMO PODE EXISTIR A SOMBRA SEM O REAL SEGURANDO POR TRÁS E DANDO SUSTENTAÇÃO A EXISTENCIA DA SOMBRA?
COMO PODE EXISTIR O FILME SEM A TELA? SER VOCE MESMO É ASSUMIR A SOMBRA COMO SOMBRA, E A LUZ COMO LUZ. UM PARTE DO OUTRO QUANDO EXISTE UM OBSERVADOR, E O DESAPARECIMENTO DE AMBOS QUANDO NÃO HÁ OBSERVAÇÃO.

NÃO HÁ DOIS "VOCE", diz Ramana.

Muito cuidado para não cair nas malhas da imaturidade espiritual...dependência e passividade.
Assim, alguém pode dizer: "Mas se cair, faz parte da vontade do universo ou do destino".

Sim, é claro. Mas se não aconteceu ainda, porque dizer isto? Ora, é justamente por isso que os mestres estão falando e aconselhando a milhares de anos. Observe suas crenças pessoais e certamente voce verá QUEM está criando sua realidade a cada momento.
Satsang pode ser apenas um êxtase passageiro.
A maturidade do ego é o que o permite cair.
Sou totalmente a favor do que KEN WILBER quer dizer como trabalho integral: a personalidade humana está dividida, e cada aspecto deve ser olhado com carinho.
Um ego imaturo verá satsang como tábua de salvação para todos seus problemas! E isso não é verdade.
Nos últimos tempos Osho declarou: "O caminho espiritual não é tão fácil como eu havia dito. Agora que vocês não mais fugirão de mim posso ser honesto: a iluminação não é um mar de rosas."

Om Shanti, Shanti om

SWAMI SAMBODH NASEEB

RESPOSTA A UM AMIGO


Vc sabe, Naseeb, às vezes é difícil reconhecer um iluminado. Isso me intriga muito, pq às vezes o guru é denorex, sabe, parece mas não é...rs Tenho participado das aulas de Vedanta com a querida Glória Arieira, uma verdadeira realizada (essa não deixa dúvida). Prescrever iluminação é a coisa mais fácil e repetitiva do mundo. É só decorar as falas. Mas pra ser de verdade, é preciso antes o contato direto com Deus e até mesmo seu grande amiguinho, rs, o Diabo.


Edu.


......................................................................................



Oi Edu

Vc tem razão!
Vou te dar um exemplo que resume tudo. Uma pessoa me disse: "Naseeb, nós estamos vivendo na era dos charlatões e falsos profetas. Como saber diferenciar o certo do errado?"
Respondí: "Como não existe vítima e sim sintonia na rede da vida, quando um charlatão se aproxima de você é um espelho para voce ver melhor aspectos de voce mesmo que ainda não havia se dado conta".

Uma mulher veio a mim dizendo que seu marido era dependente de alcool. Ela estava tentando faze-lo se livrar do vício e nao conseguia. entao chamei atenção dela fazendo a segunte pergunta: "Qual a sua dependência? Seu marido só está indicando que algo em VOCE é dependente. É verdade?"
Sabe o que aconteceu? O resto da sessão ela me contou o quanto havia sido dependente deste marido e deixado sua vida de lado, mas no passado não tinha maturidade para perceber que o universo estava apenas atraindo uma mesmíssima parte de si mesma no outro. Quando ela tomou responsabilidade pelo seu processo algo impressionante aconteceu: o marido tomou a iniciativa de procurar ajuda com um terapeuta. e ela mesma começou um processo de separação que há anos escondia debaixo do tapete...


Do ponto de vista certo, até os charlatões estão fazendo o seu papel.
Nada está fora do lugar.

SWAMI SAMBODH NASEEB

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

BÊNÇÃO



Aos poucos você mergulha cada vez mais no além, torna-se luminoso, extático, conhece a bênção, a beatitude. Agora não há mais trabalho; você começa a cantar, dançar e a gozar. Os dias de sadhana terminaram, você não tem mais nada a realizar. Deus tomou posse de seu coração, agora é com ele. Você pode confiar e deixar tudo com ele. Pode relaxar-se totalmente. É isso o que significa deixar acontecer. Não é que a jornada tenha terminado, mas o viajante desapareceu. Agora não existe mais a pessoa que viaja, mas a viagem continua...E agora há uma beleza, pois não há esforço.

(Osho)

SABEDORIA DO CORAÇÃO


Sempre que estiver confuso numa situação e não estiver sabendo como sair fora dela, não pense; simplesmente permaneça em um profundo estado de não-pensar e permita que o seu guia interior o conduza. No começo você se sentirá com medo, inseguro, mas logo, quando você chegar sempre à conclusão certa, quando chegar sempre à porta certa, você juntará coragem e se tornará confiante.
Se esta confiança acontece, eu chamo isso de fé. Isso é realmente fé religiosa – a confiança no guia interior. A razão é parte do ego. É você acreditando em você. No momento em que você vai mais fundo dentro de você, você chega à própria alma do universo. Seu guia interior faz parte da direção divina. Quando você o segue, você segue o Divino; quando você segue a si mesmo, você está complicando as coisas, e você não sabe o que você está fazendo. Você pode se achar muito sábio. Você não é.
A sabedoria vem do coração, não é do intelecto. A sabedoria vem da mais recôndita profundidade de seu ser, não é da cabeça. Corte fora a cabeça, fique sem cabeça – e siga seu ser, para o que quer que ele o conduza, para onde quer que ele o leve. Mesmo que ele o leve para o perigo, entre no perigo, porque esse será o caminho para você e para o seu crescimento. Através desse perigo você crescerá e se tornará maduro.

Osho: Trecho de The Book of Secrets

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

PAISAGEM


Cada momento é um passo.

Esqueço que passei.

Não sei se irei.

Mas agora cada passo...

Cada passo único e total

Só este momento

E dentro desse momento sem mente

A paisagem da liberdade...



Naseeb

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

ENTREVISTA COM A MONJA


Equilíbrio - Cientistas têm estudado os efeitos da felicidade e de estados de contentamento na mente humana em decorrência de práticas alternativas como a meditação. Como meditar pode ajudar na busca pela felicidade?
Monja Coen - Fizeram uma pesquisa com monges de um grupo de meditação do dalai-lama. Havia uma diferença entre os monges mais antigos e os mais novos em relação ao espaço do cérebro onde as reações de felicidade foram detectadas. A conclusão científica a que chegaram é que podemos nos treinar para ser mais felizes. As práticas meditativas levam a um estado de compaixão e isso é comprovado materialmente nos neurônios. Eles são plásticos e, assim como os músculos, podem ficar mais fortinhos se começarmos a procurar no outro alguma coisa boa.
Equilíbrio - O que é felicidade na sua opinião?
Coen - A felicidade está diretamente ligada ao que chamamos de sabedoria, ou de compreensão superior. Essa compreensão é nossa, da espécie humana. Não é para eleitos. É um estado de deslumbramento com a vida, mesmo na dor, no sofrimento.
Equilíbrio - A dor e o sofrimento fazem parte?
Coen - A felicidade não é uma coisa que aniquila a dor. Não dá para dizer "não vou ter mais sofrimentos, só vou ser feliz". A verdadeira felicidade é você perceber que a beleza é um processo contínuo. Se alguma coisa me magoa, eu fico triste. Eu não posso ficar alegre com a tristeza. Faz parte da experiência humana sentir saudade, amor, ternura, ficar triste, ter medo da morte. É trabalhar o que está acontecendo com você e não negar, não iludir. Não adianta querer cobrir com um veuzinho muito fino aquilo que é a nossa verdade.
Equilíbrio - É possível ser zen e sentir raiva?
Coen - Não existe esse negócio de "ah estou zen, nada me incomoda". Se estou zen, estou vivo. Estou com os pés no chão e sou um elemento de transformação do mundo. A indignação e a raiva são maravilhosas porque são elas que nos motivam a querer uma ação de transformação.
Equilíbrio - O contentamento não se confunde às vezes com o conformismo?
Coen - Há uma história budista que diz assim: a pessoa contente é feliz mesmo dormindo no chão duro. E aquele que desconhece o contentamento é infeliz mesmo dormindo num quarto luxuoso. Não significa que todo mundo tem de fazer voto de pobreza. Não é apenas se conformar com a situação. O caminho para essa busca da felicidade nem sempre é muito alegre. Há momentos em que você fala: "Não está acontecendo nada!". E, sem isso, você não chega lá. Não é só fazendo massagem e cuidando do corpo que encontramos felicidade. Nem só cuidando da mente e abandonando o corpo. Somos uma unidade, nosso corpo e nossa mente estão unidos.

O CAMINHO



Aquele que se agarra à visão mundana não pode entrar no caminho. Àquele que não entende realmente, mas diz que entende,Você não pode falar sobre o caminho. Aquele que vive no conforto ocioso e que é preguiçosoNão pode aprender o caminho. Aquele que acredita em mentes individuais e separadasNão pode falar sobre o caminho.Aquele que abandona o movimento e procura a calmaNão pode cultivar o caminho.Aquele que abandona o ensinamento para investigar a meditação [chin. Ch'an]Não pode atingir o caminho.Aquele que depende de palavras e conceitos para explicar o significado profundo do DharmaNão pode entender o caminho.Aquele que deseja ser apressado e procura por algo fácilNão pode ser iluminado pelo caminho.Aquele que separa o pequeno do grandeNão pode ser iluminado pelo caminho.Aquele que se agarra ao impuro chamando-o de puroNão pode conhecer o caminho.Aquele que não gosta das coisas comuns e simples e,Ao invés disso, tem uma afeição por coisas novas e especiais,Não pode tender ao caminho.Aquele que gosta apenas do simples e superficialMas não gosta do detalhado e profundoNão pode entender o caminho.Aquele que conduz uma tarefa de maneira superficial e que não gosta de esforço,O que é contra a disciplina,Não pode praticar o caminho.Aquele que atinge um pouco mas acha que é suficienteNão pode praticar o caminho.Aquele que tem pouco entendimento mas acha que é suficienteNão pode atingir o caminho.Para atingir o caminho,Apenas transcenda as preocupações, visões e tentações mundanas.Para atingir o caminho,Apenas permaneça modestamente e com mente aberta.Para atingir o caminho,Apenas trabalhe assiduamente.Para atingir o caminho,Apenas aprenda, com professores bons e próximos,Como compreender o Dharma intuitivamente e, em todos os lugares,Use o ensinamento experientemente para selar a mente.


(Ou-i, 1595-1653. Adaptado de An Exhortation to be alert to the Dharma. Traduzido por Lok To, editadopor Frank G. French. Bronx: Sutra Translation Committee of the United States and Canada, 1987. Pág. 2-3.)

Pensamentos


Não há exatamente nenhum ponto lá.

Tudo é este ponto aqui!

Cada passo posso reconhecer este AQUI.

E guardar a minha presença nessa AQUI eterno.


Todos os pontos são criados pela mente.

Só o agora não tem relação com nenhum ponto.

Por isso o AGORA está em todo lugar eternamente.


Respiro e sinto o Agora.

É sempre belo poder reconhecer que somos responsáveis por este AGORA.
Este AGORA é destruição de todos os pensamentos.


Naseeb


domingo, 7 de dezembro de 2008

EU SOU O QUE SOU...


“Tudo o que nasce deve morrer; tudo o que é adquirido será perdido.Você nasceu? Não, você existe eternamente. O Eu Real nunca podeser perdido.Você impõe limitações a si mesmo e depois luta em vão paratranscendê-las. Toda infelicidade e miséria vem do ego. Ele é aorigem de todos os seus problemas.Um "eu" imaginário surge entre a Pura Consciência e ocorpo inerte e se imagina limitado ao corpo. Busque esse eu e eledesaparecerá como uma miragem.Basta que você se entregue. A entrega é abandonar-se à Fonte doseu ser. Não se iluda pensando que essa Fonte é algum Deus fora devocê. A Fonte está dentro. Abandone-se a ela. Isso significa quevocê deve buscar a Fonte e mergulhar nela.Você é o Eu Real mesmo agora, mas você confunde a suaconsciência atual, ou ego, com a Consciência Absoluta, ou Eu Real.Essa falsa identificação existe devido à ignorância, e aignorância desaparece junto com o ego. Transcender o ego é aúnica coisa a ser feita. A Realização já existe – nãoé necessário tentar alcançá-la.O seu dever é Ser, e não ser isso ou aquilo. "Eu sou o que sou" resume toda a Verdade. E o método é a quietude.”

Sri Ramana Maharshi

BELEZA


O meu passado foi duro e de muito sofrimento. Minha mente pensa demais sobre isso. O que pode me ajudar neste caminho que propões?

Não importa o que nos aconteceu, mas em como estamos olhando para o que É, agora. Se sua vida não tem brilho, é porque seus olhos estão voltados para algum lugar que não é o seu presente. O coração é criativo e vive no Agora. Ele adora aventuras. Quem se abre, recebe. O coração vive no presente. Ele não conhece o passado e nem o medo.

Você pode aprender a dirigir sua energia para o que quer hoje. E isso é meditação. A sua atenção para viver a partir do seu amor no presente, e não no passado, na angústia, no que não fez. Tudo que aconteceu, se foi para sempre. Agora você está no ponto zero – sempre há possibilidades no infinito da sua consciência. Nós podemos recomeçar sempre, porque não há nada sério a ser feito na vida. A vida é uma maneira de você simplesmente se expressar.

Quando eu pego meu violão e faço uma canção, fico cheio de alegria e êxtase. E estou sozinho comigo mesmo. O prazer é sentido no momento. Sempre temos este momento para recomeçar e fazer novas escolhas. Expandir a consciência é aprender a fazer melhores escolhas, escolhas que tenham mais sintonia com o coração aventureiro e criativo do momento. Comece a meditar e muitas coisas vão acontecer...O que é meditar? Aprender que o momento de cada coisa pode revelar a beleza e a tranquilidade.
Naseeb

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

DESAPARECÊNCIA


O caminho espiritual é cada passo.
Nele estão espinhos e rosas.
O prazer e a dor...
A alegria e a tristeza...
Fazem parte desse caminho belo e único que é cada passo.
Então não há um passo primeiro, há apenas CADA passo.
Quando digo: primeiro, me enganei!
A mente me engana!
Não há primeiro nem segundo, nem meio e nem final...
O caminho espiritual é o caminho da vida a cada passo.
Agora, presente, sempre novo, sempre fresco e jovem.
Se você estiver nele,
você desaparece.

SIMPLICIDADE



Simplicidade é aceitar a gente como a gente é.

Nada superior ou inferior.

Viver no coração é deixar espaço para se surpreender.

Simplicidade é não saber!

SIMPLESMENTE VER



O caminho é encontrar o miraculoso a cada passo...

Ver é muito mais que enxergar...

Gratidão é despertar!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

CELEBRAÇÃO


Quando há alguma celebração, uma coisa é certa, nós esquecemos de tudo e vivemos aquilo como que hipnotizados pelo seu poder sedutor. Osho sempre dizia que seu caminho era de celebração por um lado, e meditação por outro.
Na celebração nós desaparecemos. Nós sumimos. Nós não temos problemas porque simplesmente esquecemos de nós mesmos e nos tornamos celebração. O ego derrete na celebração. Se você estiver celebrando não existe você celebrando, mas celebração - porque o que você é mesmo é celebração, e não alguém que está celebrando. Somos a energia celebração. Este alguém que pensamos que somos é uma invenção do cérebro. Limitada. Preste atenção aos seus momentos de celebração. Algo te move que está além de você. Krishnamurti sempre nos lembrava que "a verdade é uma terra sem caminhos"... por isso, cada momento é fértil e absolutamente relaxado e não há regras. Osho, mestre da celebração. Da dança, da música, do canto. "Torne-se consciente do instrumento que todos somos" - era sua mensagem constante. Não importa o que estiver fazendo, observe, fique alerta. Perceba as escolhas... Em celebração, a ciência meditativa se aproxima da vida diária. Celebrar é viver.
NASEEB

EU SOU ISSO E AQUILO E ALÉM


Se somos iluminados agora mesmo, então porque meditar?

A prática da meditação e da auto-investigação é para você ter essa experiência por si mesmo. Você pode ouvir de alguém que você já está acordado. Mas essa experiência não pode ser passada por palavras. Tem-se de viver isto a cada momento. A prática é um caminho para experienciar isto. Sim, somos iluminados, mas temos de saber por nós mesmos. Depois de saber, passamos anos estabilizando nosso corpo e nossas mente para cristalizar este reconhecimento. Mas realmente meditar é viver em meditação, estar próximo ao corpo, abandonar as histórias mentais, sintonizar-se com o presente e com sua força interior. Tudo que se pode fazer sempre está agora. Não restrinja sua prática à sua casa ou ao seu centro de meditação. Lembre-se que você carrega o Cristo, você carrega o Buda. Você é o Cristo. Você é o Buda. Precisamos reconhecer isto a cada momento. Eu sou...é uma boa meditação...Quem sou eu? Eu sou...apenas sou...eu...apenas eu...
SAMBODH NASEEB
"Aniruddha fez uma pergunta dizendo que quando ele veio até aqui, imaginava–me uma pessoa erudita, especial, extraordinária.Agora ele diz:'Vivendo aqui com você durante muitos dias, vejo-o como um homem, como um outro homem qualquer. Então por que tanto estardalhaço?'Eu não tenho nenhuma obrigação de preencher suas exigências.Sou apenas o que sou, totalmente comum.A realidade é comum.A rosa é uma rosa, a rocha é uma rocha, o rio é um rio.A realidade é absolutamente comum.Então qual é a diferença entre você e eu?A diferença é a seguinte:eu celebro minha mediocridade,você não celebra.Esta é a diferença.Eu dou as boas - vindas a ela,sinto-me completamente feliz com ela; você não.Eu sou um ser, você é um tornar-se.Eis a diferença.Não que eu seja especial e você seja comum - isso é inteiramente absurdo-se eu fosse especial, então todo mundo seria especial, se você fosse comum, então todo mundo seria comum.Pertencemos à mesma realidade.Eu sou totalmente comum.Mas a diferença é que eu celebro isso...Não tenho rancor, não tenho nenhuma queixa, não estou tentando tornar-me alguém que não sou.Aceitei-me inteiramente – não desejo mudar nem mesmo uma única coisa.Neste relaxamento, nesta aceitação,a celebração começou a acontecer em mim."OSHO, O Segredo dos Segredos ,Vol. I