quinta-feira, 29 de abril de 2010

O ENSINAMENTO






Eu li um bocado de livros, mas não me sinto ainda disponível para começar as práticas. O que devo fazer? Como posso me motivar?

Para praticar é preciso um método. Cada professor espiritual tem o seu método. Encontre uma pessoa com que você sintonize, que desperte confiança e amor em você. Os livros podem lhe dar a sede, mas funcionam apenas como cardápios. No restaurante, cardápios não podem lhe saciar a fome. A verdadeira comida espiritual é praticar e ouvir os ensinamentos espirituais de quem já os assimilou em sua vida, e praticar, praticar, praticar. Foi assim que aprendi. E esta é a maneira que hoje ensino.

Do livro VIDA ILUMINADA, de Sambodh Naseeb

POR TRÁS DO VÉU DA ILUSÃO






A consciência que você É, é luz, e está o tempo inteiro brilhando em si mesma, como a chama de uma vela. É o envolvimento com o falso, o hábito de se considerar um separado ego, que o mantém afastado da sua beleza e radiância naturais. Amar você mesmo lhe permite amar toda a existência como pura divindade. Procure ver a todos como deuses e a você mesmo como pura divindade. É uma belíssima prática espiritual. Envolva-se com a verdade de que tudo que existe é luz. Por trás do véu da ilusão, a luz divina protege e abençoa a todos que reconhecem essa verdade.

Do livro: VIDA ILUMINADA, de Sambodh Naseeb

De onde vêm os pensamentos??






De onde vêm os pensamentos?

Depende. Quando há sintonia com sua essência, os pensamentos são expressões diretas da consciência no momento presente. Mas quando não há sintonia, os pensamentos são frutos da mente, da memória, ou seja, de uma sub-consciência, adulterada e envolvida com o passado e o futuro. Viver o que você é lhe permite pensar ordenadamente. Todo pensar que vem do amor e da sintonia com sua essência é perfeito, sem conflito, límpido e transparente. Entretanto todo pensar que vem da briga, da luta com a vida, da não-aceitação de você, da negação de sua vida natural, do envolvimento com expectativas e julgamento de como as coisas deveriam ser, é um pensar que traz sofrimento e ilusão.

A suprema verdade é: todo pensamento nasce na consciência, e desaparece na consciência. Nasce do vazio e morre no vazio. Como elétrons que aparecem desaparecem no nada, e os cientistas ficam perplexos com o movimento inesperado deles. Portanto, apenas veja e silencie. A sua quietude é suficiente para que você possa perceber o amor que sempre o espera.


Do livro: VIDA ILUMINADA, de Sambodh Naseeb

quarta-feira, 21 de abril de 2010

QUAL O CAMINHO CORRETO?



Sempre estamos nos deparando com as situações no dia-a-dia, onde pensamos ter de escolher o caminho certo. Mas dentro deste ensinamento, qual o caminho certo? Em primeiro lugar, há um caminho? E não estamos falando de coisas objetivas, como comprar ou nao um carro, ou increver-se ou não em um concurso. Mas sim do rumo de nosssas vidas. Existe um rumo definível por nós mesmos? Sua vida seguiu o que realmente você estava imaginando há 20 anos atrás? Suas crenças sempre se revelaram perfeitas? Existe um caminho certo? O que é um caminho certo? O que é um caminho errado? Para onde apontam todos os caminhos? Quem está por trás de todos os caminhos? Você. Consciência. Esta consciência é um caminho ou a ausência de todos os caminhos? Pensamentos de certeza ou incerteza aparecem dnetro da consciência. Então hoje você diz: "Estou certo disso". Amanhã dizemos: "Não estou mais tão certo". O que mudou? Os pensamentos, certo? Mas a consciência no qual os pensametnos surgiram, mudou? e quem é você? Aquilo que mudou (pensamentos) ou aquilo que permaneceu (consciência) ?

Quem está lendo este blog agora? Um pensamento pode ler? Veja como existe algo misterioso lendo isto agora. Observe isto. Não o pensamento, mas isto que você é agora. Consciência. O que é isto? Permaneça nisto. Em que tempo isto se manifesta? No passado, futuro ou no Presente? Descubra neste exato momento junto comigo. Isto que está lendo estas palavras agora não está no momento presente? Está me acompanhando? E o que é isto? Qual a sensação que ISTO lhe dá? Assim é possível notarmos porque tantos mestres espirituais dizem que o momento presente é a porta para o Ser, para o Silêncio, para a Paz Interior.

No desenho acima, há uma indicação: A mente imagina que há um lugar mais certo que o outro. e o único lugar certo não está nem no tempo, nem no espaço. É o Agora. é o que é. É o que está acontecendo. Mas isto requer um novo olhar. Um aprofundamento vertical em relação a vida. Este é o espaço sagrado que chamamos Satsang.

Naseeb.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

ILUMINAÇÃO NÃO ACONTECE







Iluminação não acontece.
Iluminação é sua natureza.
Você é iluminação!

Iluminação é existência.
Tudo na existência tem causa e efeito.
A existência não. A existência sempre existiu.
A existência não tem uma causa.
Apenas o que acontece dentro da existência tem uma causa.

OSHO

É PRECISO TÉCNICAS?

“Seja uma testemunha”. Isso é o que o Ashtavakra Gita está dizendo. Mas se você tem dificuldades em ser uma testemunha e você quer usar algum método, alguma técnica, então use, não tenha medo. Continuando com o método você será capaz de se tornar uma testemunha do método também. Eis porque eu digo, medite, e não se preocupe sobre isso. Porque eu sei, se você não meditar, não será capaz de testemunhar também. Se não meditar, você continuar a pensar compulsivamente. Então, a escolha não é entre meditação e testemunho, mas sim entre pensar e meditação. Você entende o que eu estou dizendo? Se você não meditar, e ouvir esses mestres que dizem para não meditar, como Ashtavakra, que dizem que meditação e métodos são escravidão (e eles estão certos), você se tornará uma testemunha? Não. Você continuará repetindo os mesmos pensamentos enraizados em você.

Sim, eu direi para você meditar. Porque as alternativas agora para você são ou meditar ou pensar. Testemunho não é possível agora para você. Se você ir meditando, então uma nova escolha aparecerá: meditação ou testemunho? Então você pode escolher testemunhar, apenas perceber, observar, e abandonar a meditação.

OSHO









Este Caminho não é para torná-lo feliz.
Não se iluda.
Este caminho é para ampliar sua visão do significado profundo da vida.
Meditação é despertar a consciência para a dança da harmonia dos opostos.
Aprenda a perceber os opostos se manifestando na sua vida.
Consciência da alegria. Consciência da tristeza.

Porque quando você for realmente feliz, não haverá mais ego.
Não haverá mais você para dizer que é feliz.

Este caminho não é para fazê-lo feliz.
Este caminho é para fazê-lo desaparecer.

Naseeb

TÉCNICAS








Se você compreendeu, não há nenhuma prática.
Se você compreendeu, nenhuma técnica é necessária.
Mas se você perguntar porque, então use técnicas.
Técnicas são necessárias até se compreender a futilidade delas.
E não é possível atalhar.
Seja honesto consigo mesmo e não permita nenhum professor lhe atrapalhar.
Há tempo para as práticas.
Sempre que houver um "como ser feliz" haverá necessidade de fazer algo.
Quando você desiste de "tentar alguma coisa", naturalmente, então acontece o despreedimento.


Naseeb

PREPARAÇÃO










Meditação não existe pra encontrar Deus.
Meditação não é para torná-lo iluminado.
Nada pode torná-lo iluminado.
Nada pode tornar a luz iluminada!

Meditação é uma preparação
para viver em solitude.
Meditação é uma preparação
para o reconhecimento da divindade latente.

Naseeb

CALE A BOCA INTERNA


Lá pela década de setenta, as pessoas se encantaram pelo Zen. O mundo ocidental estava conhecendo a filosofia oriental de vida e tudo que era livro lançado trazia a marca "Zen". O Zen das motoclicletas, o Zen das Flores, o Zen do trabalho, o Zen da dança, enfim.
Agora chegou o movimento "não-dual".
Entao, tudo que é Adváitico está em moda. Muitos não tem a mínima noção do que estão dizendo, mas ao mencionar a palavra Advaita, um brilho já se produz aos olhos.
Tudo uma bobagem.
Tudo aquilo que se fala de dual e não-dual são apenas estratagemas.
Não há nenhuma verdade sendo dita em nome disso.
A mente adora novos encantamentos. Por isso, durante alguns anos ela gosta de tomar novas doses de outros remédios, até cair outra vez na mesmice.
A sua paz interior não é medida pela mente.
Independente do método que usares, dual ou não-dual, esteja apenas presente.
Cada professor adora vender o seu próprio peixe.
Mas olhe para o peixe que ele está vendendo: é feito de nada.
Mestre Eckhart, disse: "Olhe, tudo é feito de nada".
Realmente, nada se sustenta sem a presença da alma do mundo.
Um corpo não está separado.
O "ver separado" é a morte do ver.
Apenas fique em silêncio.
É o suficiente.
Silêncio não é dual ou não-dual.
Quando há silêncio, não há mais você para rotular disso ou daquilo.
No silêncio, você calou a boca interna.

Naseeb

terça-feira, 6 de abril de 2010

OBSERVADOR OU EXPECTADOR?









Um meditador é um observador - e não um expectador.
Qual a diferença entre eles?
A diferença é que um observador não esquece de si.
Um expectador se perde nos outros e esquece de si - esquece do seu próprio centro.
A diferença é realmente sutil.
Para ser um expectador você precisa esquecer de si mesmo, como quando vê um filme, por exemplo.
Mas um meditador é vigilante. Ele inclui a si mesmo na observação - ele não se exclui do campo da visão. Somente a meditação pode ensinar você a ser um observador - consciente, vigilante, alerta. E com isso, sua inteligência cresce, sua criatividade cresce, sua vida se amplia.

Não seja um expectador da vida - porque assim você será uma pessoa passiva, morna, um marionete. Seja um observador: alerta, presente, percebendo seus atos, pensamentos e sentimentos. Assim, a consciência se expande.

Naseeb




COMPLETUDE



Se você realmente quiser conhecer a si mesmo, terá de parar de procurar você nos olhos dos outros. Os outros não estão falando sobre você. Os outros estão falando sobre a interpretação de você que eles tem em suas mentes. E tudo que você tem em sua mente sobre você é uma interpretação. Meditação é descobrir algo sagrado que existe por trás de toda a idéia sobre você, idéias suas ou dos outros. É uma descoberta daquilo que não é uma idéia. E aquilo que não é uma idéia sobre você, É você. Por isso, esta realização, preenche. O que não é você, jamais lhe preencherá! Descobrir a si mesmo é conhecer a completude.

Naseeb

quinta-feira, 1 de abril de 2010

O QUE É ADVAITA VEDANTA?


A doutrina principal do Advaita é que apenas o Absoluto (Brahman) é Real e que o mundo e toda a criação é irreal, sendo que toda e qualquer modificação, dualidade, pluralidade – seja objetiva ou subjetiva – é apenas uma superimposição, uma imagem que é sobreposta no Absoluto através do poder da ilusão (maya). Como o Absoluto é imutável e sem atributos, a criação é negada, uma vez que o absoluto não pode criar, devido a sua própria “infinitude”, digamos assim, e também porque não pode haver nada “fora” ou “diferente” do absoluto. O Absoluto é o oceano de Ser-Consciência-Beatitude (sat-chit-ananda), sendo Real, enquanto que tudo o que nele surge e desaparece é transitório, limitado e, portanto, irreal. Nas palavras de Shankara, o ensinamento Advaita central é que “o absoluto é real, o universo é ilusório, e a alma individual não é diferente do absoluto”. Embora a alma individual (jiva) seja vista como parte do mundo ilusório, e portanto irreal, a “testemunha” que há por trás dela (a Consciência), ou Eu Real, é tido como sendo um com o Absoluto.
Para o Advaita a ilusão, ou ignorância espiritual, não é real, mas apenas uma falsa-percepção. Os Upanishads explicam que Maya (ilusão cósmica) causa o surgimento do universo e que avidya (ignorância individual) é responsável por o absoluto Ser parecer ser uma multidão de almas individuais (jivas). Assim, através da ação inexplicável da ignorância, o Absoluto ou Eu Real (Brahman ou Atman), cuja natureza é Ser-Consciência-Beatitude, encontra-se preso em um complexo corpo-mente, acreditando-se e vivendo como se fosse um ser limitado e individual, enquanto que na verdade é apenas existência impessoal e eterna. A metáfora mais utilizada pelas escrituras é a situação de um homem que abre a porta de um quarto escuro e, naquele momento, uma corda que estava em uma prateleira cai no chão, e o homem, devido à pouca luz existente no recinto, acredita ter visto uma cobra, enchendo-se de medo. De igual maneira, ensinam os mestres, nós acreditamos ser um ser individual, limitado a um corpo-mente, vivendo em um mundo exterior, objetivo, substancial e real, enquanto que tudo isso não passa de um sonho, um engano, uma miragem, e nós somos, agora e sempre, apenas o Eu Real ou Self.


ESPELHANDO

______________________

“Assim como a superfície de um espelho existe

dentro e fora da imagem refletida no espelho,


também o Ser supremo existe tanto dentro


quanto fora do corpo físico.”





Ashtavakra

SER


Perfeição é simplesmente

a gratidão do que somos

agora.



Naseeb

VEDANTA E O CONHECIMENTO CORRETO


Swami Dayananda Saraswati, mestre de Vedanta, diz: "A verdade de si mesmo não é uma conclusão intelectual, tampouco é algo a ser “alcançado” através de experiências. O Guru não é um elevador que o toca e você vai “para cima até o Ser Ilimitado”. O Ser Ilimitado é você, não um lugar a ser alcançado. Não é através de alguma experiência que você se torna a Verdade. Não há nada para tornar-se. Não há nada a transformar. O Ser ilimitado não precisa ser produzido, ele já é. Você é a Verdade que está buscando. O ensinamento de Vedanta é somente um pramana, um meio de conhecimento, um instrumento, através do qual o professor mostra o que você já é.O que você é não é uma conclusão intelectual. Intelectual significa dedutível, isto é, uma conclusão intelectual é uma conclusão por inferência, sobre algo não disponível para a percepção imediata, mas sobre o qual existem informações das quais alguma conclusão lógica pode ser alcançada. Mas o Ser Ilimitado –que é você– não precisa ser inferido, isto é, não está disponível para inferência, pois está exatamente aqui com você mesmo; você está imediatamente presente. Você está disponível para ser conhecido, não para ser “inferenciado”. Você não consegue conhecer a você mesmo, somente devido à ignorância, não devido à falta de possibilidade. Você está experienciando o Ser Ilimitado o tempo todo e mesmo assim não o conhece! Somente o conhecimento, e não a inferência, e não a experiência, é capaz de destruir aquela ignorância. É isso que o Advaita Vedanta faz: outorga conhecimento correto do Ser único e ilimitado, removendo todas as noções errôneas que dizem que você é um corpo e uma mente frágil e limitada.”