sexta-feira, 22 de junho de 2018

O FIM DA BUSCA



Alguém recentemente me escreveu para perguntar minha opinião sobre a busca. Ele também disse que, no que diz respeito à libertação, há algumas pessoas que ele considera 'autoridades' sobre o assunto, ele mencionou Ramana e Adi Da. Aqui está a minha resposta para ele.
Aqui está a minha opinião e visão sobre a busca. O fim da busca significa o fim de procurar em todos esses livros por alguma autoridade para me contar sobre minha própria experiência. Esses livros acabaram para mim, aquele Buda está morto. O fim da busca significa o fim da ideia de que me falta algo e Ramana ou Adi Da, ou qualquer outra pessoa, tem algo assim. O fim da busca significa o fim de precisar de algum tipo de novo estado ou experiência que seja extraordinário. Esse desejo ou necessidade, em si mesmo , é escravidão. Eu tive muitas experiências místicas incríveis, elas não significam nada para mim agora.
O fim da busca é o fim do filosofar. É o fim de tentar alcançar, alcançar ou compreender algo sobre a vida ou a iluminação através da mente, lendo, observando, etc. Filosofia e compreensão mental não são liberdade.
O fim da busca é o fim do devir sem fim. Aqui e agora, como eu sou, a consciência comum, Sat Chit Ananda, é liberdade.
Não é Ramana, não é Adi Da e, se for honesto, devo dizer que não tenho idéia de qual é a experiência deles de consciência. Ramana e Adi Da são apenas pensamentos, em minha mente, eles não são verdade. E se for ainda mais honesto, devo dizer que esses pensamentos são incompletos e falsos - filtrados pelo desejo, colocando essas pessoas em um pedestal incrivelmente alto e sentimentos de falta e indignidade, tudo isso é ego - eles não tocam a verdade.
Por outro lado, eu sou a verdade. Desde que se olhe para qualquer outra pessoa como uma autoridade, a pessoa se compara e se descobre de algum modo ausente. Eu não estou faltando.
Eu costumava ler muitos livros espirituais também, muitos anos atrás. A liberdade não está em nenhum deles. Na verdade, eu diria que o oposto é verdadeiro. Ler continuamente esses livros manterá alguém comparando a experiência atual com algum ideal conceitual, encontrando-se carente e propagando-se buscando para sempre. Na minha opinião e experiência, é necessário um professor vivo para quase todos. Um professor de verdade vai cortar sua cabeça. A cabeça é todos aqueles milhões de conceitos espirituais que nunca terminam e nunca se resolvem, colhidos da leitura de livros espirituais e de outros samskaras (impressões mentais) culturais, religiosas e sociais. A cabeça é a crença de que alguém é uma autoridade em você. E por causa de toda a leitura, a mente acredita que está faltando alguma coisa e assim naturalmente continua procurando, geralmente para sempre. Mas você não está faltando e você não está buscando. É apenas a mente que parece estar procurando.
Eu não me importo em obter nada por causa de qualquer falta percebida. Eu não me comparo com ninguém. Então, o que há para procurar? O que mais posso querer ou precisar?
Salvadore Poe

domingo, 27 de maio de 2018

MIRAGEM



Disse Shankara: "A miragem do grande rio não pode molhar as areias do deserto".


Shankara simplesmente expõe algo simples: algo que não existe pode ter uma existência mental, conceitual. Separe o real do irreal e veja se você pode ser atingido por alguma coisa.

Sambodh Naseeb

segunda-feira, 30 de abril de 2018

O JOGO DA VIDA



Quando compartilho a visão da unidade, o não-dualismo ou no ensinamento advaita, há um apontamento que julgo muito importante: o conceito de que o universo e toda a sua multiplicidade são, em definitivo e em última instância, expressões multidimensionais de uma única realidade. A mente tem a função de analisar e rotular todos os pensamentos. Dividimos, arbitrariamente, o momento sagrado (o Agora), em passado, presente e futuro. O resultado disso é separar aquilo que em essência não tem divisão: a Realidade. Dividimos a realidade em sujeito que pensa e objetos pensados, entre o ego-eu-pessoa-pensamento e o mundo.
Essa divisão é o começo da falsa estrutura (ego) que separa tudo, e que julga ter o poder de guiar a própria vida. E no entanto, é regido por emoções, sentimentos e pensamentos muito mais fortes que qualquer tipo de controle do ego.
No estruturamento do ego, separa-se internamente, na psiquê, o que não é repartido. Separa-se a vida de nós mesmos (em sua mente). O jogo começa assim: algo deve acontecer: identificação e limitação. O jogo da vida acontece dentro da consciência, dura um tempo, e desaparece. Porém, nada acontece à consciência. A consciência é todas essas formas evoluindo e involuindo. Por isso, em realidade, nada se perde, pois tudo é a consciência em todos os momentos. Tudo está acontecendo dentro do campo consciente que você é, em múltiplas dimensões do que eu sou. Não é preciso nada para ser isto. Você já é. Agora, ponha atenção nisso. Você é aquilo que contém tudo isso. Não algo particular. Mas universal.
 Geralmente nos envolvemos com uma onda em particular, mas podemos nos dar conta de que a nossa essência é sempre o mesmo oceano. A visão da unidade ou o não-dualismo indica sua seta sempre para a unidade, a essência que permeia o oceano e as ondas, e não para as qualidades individuais de cada onda (que são imaginadas apenas pela mente). Neste ensinamento, aprendemos a nos reconhecer como espaço consciente. Note isso. Já é agora. Antes da próxima respiração. Já é.

Sambodh Naseeb


segunda-feira, 16 de abril de 2018

SAGRADO MOMENTO AGORA




Neste momento, o Agora é este espaço que contém o corpo, a mente, o tempo, sua vida, o mundo e tudo o mais. Toda a criação está surgindo, Agora. Todo pensamento está acontecendo exatamente, Agora. Eu penso no passado, Agora. Eu penso no futuro, Agora. Tudo acontece sempre, Agora. Mas eu não aconteço agora, porque eu sou o Agora. Você é o Agora. Só o Agora realmente existe. O Agora é consciência divina. Consciência é este Agora atemporal. Eu sou a substância feita do Agora. Você é sempre ISTO. Agora. Isto que está consciente do Agora, o que é? Sente com isso.

Sambodh Naseeb

quarta-feira, 11 de abril de 2018

SER




Você tem um pensamento, 
   mas você não É um pensamento!

Sambodh Naseeb

UNO




Somos canais por onde esta energia universal se expressa. Quando somos brindados pela graça divina, aceitamos que cada palavra, cada ato, cada emoção, interpretada pela mente como boa ou ruim, é simplesmente a Totalidade da vida expressando a Si mesma.


Sambodh Naseeb

segunda-feira, 26 de março de 2018

ATENÇÃO SEM ESFORÇO





Fique nesta atenção sem esforço que observa. Não interfira. Claro que a mente pode vir a julgar. Deixe-a julgar e note isso. Não toque em qualquer pensamento. Mantenha-se no centro. Qualquer interferência nos pensamentos é mexer com uma colmeia de abelhas. O que acontece? Cada pensamento negado entrará em conflito com outros, e isso criará mais dez pensamentos.

Então, não interfira, não faça nada. A mente é uma colmeia, então não toque nela. Não se mexa. Permaneça vazio de intenção. Permaneça sem esforço, na observação. Com o tempo, você vai perceber que não há nenhum esforço para ser você mesmo. O eu que você realmente é não lhe dá trabalho. É pura paz. Apenas permaneça quieto e certifique-se disso por você mesmo.


Sambodh Naseeb

O SER É LUZ





O Ser é a consciência, o Espírito Consciente. O Ser é a Luz. O Ser transcende o tempo e o espaço. Neste momento o Ser é o oceano onde todas essas ondas-experiência do corpo e da mente aparentemente acontecem. O Ser é o que chamo agora de consciência.
Sambodh Naseeb

LÂMPADAS



A consciência é como a eletricidade. O organismo humano é como a lâmpada. Lâmpadas queimam. E podem ser substituídas por outras. Mas aquilo que anima as lâmpadas, a energia, está sempre disponível e nunca queima.


Sambodh Naseeb

quarta-feira, 14 de março de 2018

O REAL PROBLEMA





O problema real nunca é a mente. É a ignorância de si mesmo.

Sambodh Naseeb

SEM SENTIDO




É um paradoxo! Enquanto você for “alguém” para você mesmo, sofrerá o conflito com outros “alguéns”, e não terá liberdade real. Liberdade real é o desaparecimento de você. O derretimento do buscador. E o ponto aqui é: ego só pode brigar com ego. Não há nenhuma possibilidade de um ninguém, um não-ego brigar com um ego. Não faz sentido. A clareza reconhece a falta de sentido. A não-mente não briga com a mente. O vazio não briga com o que acontece. Quem és de verdade?


Sambodh Naseeb


sábado, 23 de dezembro de 2017

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

DETERMINAÇÃO






"Estou sempre a pensar que o consegui; mas depois dou com a cara no chão. Há algum momento em que a entrega e a determinação terminem?"



Não. Determinação, que é entrega, é gloriosamente necessária enquanto o corpo respirar.

Eu digo-te continuamente que ser é naturalmente fácil; no entanto, é apenas experienciado como fácil se fores verdadeiro para com a Verdade. Não o ser verdadeiro para com determinados fenómenos que ocorrem. Não o ser verdadeiro para com determinadas explosões bioquímicas. Se fores verdadeiro para com os fenómenos, irás então pelo caminho que a existência condicionada tem seguido ao longo dos tempos. Eu prometo-te isso. Mas não tens de confiar nas minhas promessas. Simplesmente diz a verdade sobre as tuas próprias experiências ao longo do tempo e verás que assim é. É uma dura verdade porque há muita idealização infantil sobre a forma como as coisas deveriam ser.

Essa dura verdade, se encontrada na determinação pela verdade absoluta, não é nada. Sem esforço. O esforço, a luta e a experiência de dar com a cara no chão, vêm da tentativa de apegar-se a determinado fenómeno ou de tentar conseguir algo outra vez, ou tentar algo em algum outro lugar. Quer seja o fenómeno chamado poder pessoal ou o fenómeno chamado excitação sexual, ou o fenómeno chamado poder espiritual, são tudo armadilhas da mente.


gaNGAJI

TU ÉS O SILÊNCIO





Tu não podes fazer o Silêncio. Tu és o Silêncio. Sê quem és. Sê silencioso – absoluta, completamente silencioso – e vê aquilo que é anterior a qualquer pensamento, a qualquer conceito, a qualquer imagem de quem, ou do quê, ou de quando, ou de como, ou de porquê.

O Silêncio é a presença do Ser. Tu és a presença do Ser. Recebe-te a Ti mesmo. Bebe-te a Ti mesmo. Alimenta-te de Ti mesmo. Começa a tua exploração dAquilo.

Gangaji