quinta-feira, 14 de setembro de 2017

PARA DEMOLIR VOCÊ




Este ensinamento simplesmente mostra claramente a distinção entre Ser Ego e Ser Consciência, em outras palavras, faz a distinção do que é real e do que não é. Muitas vezes chamado de Caminho Direto, é o reconhecimento de que somos todos pura consciência sem fronteiras, uma inteligência sem forma, onde todas as formas podem aparecer infinitamente. Do mesmo modo que o oceano e as ondas, essa inteligência se manifesta para si mesma em um reflexo chamado mente. Dessa forma, aparece o mundo de maya, o mundo da aparente dualidade, o mundo dos muitos, dos seres diversificados, dos aparentes espíritos, do ego, da separação entre alegria e tristeza, entre iluminação e ignorância. Todos os opostos são aparentes, e fazem parte do mundo da onda.

No mundo da onda tudo existe no tempo e mudam de lugar. Tudo é impermanente. É o mundo do movimento, da mudança. Já o mundo do oceano é profundo, quieto, silencioso. O fundo do mar é cheio dos mistérios e surpresas. O oceano está em toda onda. A onda veio dele. A onda é uma forma diferente do oceano se manifestar. Tudo que vemos aqui no nosso mundo é um grande filme cósmico que parece acontecer aos seres que moram aprisionados no tempo. Mas tudo isso é apenas um movimento da energia cósmica, como num filme, criando os aparentes mundos e os aparentes seres que vivem nesses mundos. É possível se apegar às histórias do eu sobre sofrimento, suas frustrações, seus medos. Ser uma pessoa é estar destinado a mudar. Ser Consciência é simplesmente SER. Se sofrimento acontece, é isto. Se alegria acontece, é isto. Você não cria personalidade fixa, rígida. Você é simplesmente solto, fluido, como a água, pode tomar várias cores. E sabe profundamente que jamais nenhuma cor e nenhum sofrimento toca seu mundo interior de paz. Se o sofrimento é parte do sonho, algo ter feito algum sofrimento em você também faz parte do mundo de sonho.

Mas o oceano cria a onda para a onda se desmanchar e virar outra onda. Esta é a dança do oceano. Na verdade, o oceano sabe que nada é perdido quando uma onda desaparece. É o próprio movimento do oceano que faz com que uma onda suba e outra onda desça. Uma pessoa está sempre com medo das mudanças da vida. Ela tem de evitar que a vida se desmanche, e como ela é feita de cada pedacinho da vida, quando alguém que amamos vai embora, sentimos como se fosse dentro da gente. E sentimos assim porque na verdade somos um pouco daquilo. Só existe consciência. Aquela pessoa nos constituiu também. 


A pessoa tenta evitar a todo custo qualquer demolição. E o que acontece a cada momento? Algo vai sendo esculpido, queira ou não, como rocha bruta, vai se transformando numa nobre pérola, numa divindade, ou em algo indizível. Está no desenho da vida demolir você de qualquer jeito. A ideia de “você” vai ser demolida sempre. Porque é falsa. Tudo é falso. E a sua mente tenta ser forte para aguentar a pressão. É o que todos tentam fazer. Seja forte, dizem. Mas há uma outra via para olhar isto. Há aqueles que  simplesmente se entregam ao fluxo. O ego resiste à demolição, enquanto que a consciência se aproveita de todas as experiências para soltar e soltar. Toda a fala, todo movimento, toda palavra e todo silêncio, estão a serviço do Amor Consciente. A serviço de Ser Consciente. 

Sambodh Naseeb

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

BOLSOS VAZIOS




O que estou escondendo? Existe algo em seus bolsos que você está escondendo e não quer ver. Esvazie os bolsos. Largue todas as fichas. Tentativas de manipular a vida? Algo que você está esperando que aconteça? Existe algo em sua mente? Uma espera? Alguma exigência? Uma expectativa? Uma cobrança? Algo aconteceu que você não queria que acontecesse? Algo não aconteceu que você queria que acontecesse? Pergunte-se: “O que eu quero de verdade?” A resposta virá. Você quer ser livre mesmo? Você quer mesmo mudar sua vida? Apenas, pergunte: “Do que estou tentando escapar?”. Das flores.

Sambodh Naseeb 

DOR E SOFRIMENTO




Existe diferença entre dor e sofrimento?


Existe. Dor é uma sensação, tem relação com seu corpo. Sofrimento é mental. Para haver sofrimento é preciso haver uma história, um personagem que sofre e um cenário onde este personagem experimentou o sofrimento e o porquê disso. Dor é natural. Sofrimento é relativo à identificação com sentimentos e pensamentos, e ao quanto você está perdendo com isso que aconteceu. Se você está aprendendo a se enraizar na sua verdadeira natureza, o sofrimento deve diminuir, pelo fato de que você faz menos histórias sobre si, tem menos exigências, e aceita com mais facilidade o modo como a vida é. Na investigação direta, sempre é possível olhar com mais profundidade a natureza do sofredor, o ego, para vislumbrar qual a fantasia que estamos tecendo, que está nos colocando em ilusão. Sofrimento é a ilusão do ego. Sabendo disso, devemos cada vez mais procurar nos estabelecer no espaço divino que está além de todo sofrimento humano, a consciência, de modo que possamos entregar todo o sofrimento, reconhecendo a história do começo ao fim, e relaxando no presente, renovados, mais sábios, mais amorosos. O sofrimento sempre é um convite para nos aproximar mais de nossa natureza sagrada.

Sambodh Naseeb

MENTE APENAS CONTA A HISTÓRIA



Quando olhas para uma árvore, é um pensamento que olha? Um pensamento pode olhar? Quando ouves os pássaros, é um pensamento que escuta? Quando eu sentes o toque de sua mão na minha, é um pensamento que sente o toque? Ou o pensamento vem posteriormente rotular a experiência?
Interessante: vida está além do pensamento. Toda a experiência acontece antes do pensamento. Você é o experienciar.

A mente vem depois para contar a história.

Sambodh Naseeb

O APARENTE SOFREDOR



Na clareza do ensinamento, o aparente sofredor-eu é visto como miragem. Ele é uma criação da mente, uma história do pensamento. O sofredor não existe sem uma história. O sofredor é um conceito que chega pelo pensamento, rotulando o experienciar (agora) de experiência (passado).

Sambodh Naseeb

domingo, 13 de agosto de 2017

LIVRE




Você é tão livre que pode até imaginar-se preso!

Sambodh Naseeb

AMOR...AMOR



O Amor é a Unidade Da Vida Universal aparecendo na forma.

Sambodh Naseeb

UNIDADE




Há apenas Unidade. Eu não posso encontrar a mim mesmo num pensamento! Eu sou consciência. Eu não sou um pensamento! É uma contradição encontrar a mim mesmo porque eu não sou uma coisa separada de mim. Eu sou eu mesmo! Seria como pedir à balança para pesar a si mesma.  Eu não sou uma coisa, não sou um objeto, não posso ver-me como um sujeito que vê alguma coisa (sujeito x objeto). Eu sou eu mesmo significa Aquilo! Eu sou uma experiência não dividida. Eu sou Unidade. Mas isto não é uma experiência que algum "alguém" possa ter.

Sambodh Naseeb

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

VIDA CONSCIENTE



Chamo este tipo de autoconhecimento de Vida Consciente. É um ensinamento que aponta para a visão da unidade da vida, da unidade que existe em toda a diversidade, do ponto em comum que existe, aqui e agora, sempre, em tudo. Qual é a fonte de toda a energia? Qual é a fonte do seu pensamento? Este ensinamento aponta toda a diversidade na verdade como o Uno aparecendo como objeto dele mesmo. É uma aparência, um fenômeno que surge e desaparece. A vida é mudança. Vida é pura impermanência. Mas parece haver uma vida que não aparece, que é misteriosa, que se esconde, que escorrega e que não conseguimos encaixotar. Quando acontece, por graça, que você vivencie esta vida, que não é dizível ou organizável em sua mente, isso significa que você está começando a penetrar no que pode ser chamado de campo divino, a consciência profunda, onde tudo é simplesmente Uno, e você desaparece (sem jamais ter existido em separado). A Unidade aí está e é o que é. É sempre assim que é. A vida é movimento. Nada parou. Quantos belos momentos hão de vir.

Sambodh Naseeb

O SALTO QUÂNTICO


É APENAS SE DAR CONTA DE QUE VOCÊ JÁ É COMPLETUDE.

Sambodh Naseeb

ENTREGA


Quando a entrega acontece, pela primeira vez o apego ao futuro desaparece.

(Sambodh Naseeb)

domingo, 23 de julho de 2017

ESPAÇO


A VIDA OBSERVA


SATSANG



Satsang não tem nenhum compromisso de dar respostas,
mas o dever de derreter o perguntador.

MOMENTO SAGRADO


Momento Sagrado é uma experiência viva que exalta as belezas simples do absolutamente óbvio de cada instante, em que cada gesto e movimento é uma prece natural que surge como néctar e perfume da Unidade. Essa clareza celebra o milagre do Agora, o respeito e devoção a tudo que existe.

Apenas uma pequena pausa lúcida - e aquilo que você está buscando a vida inteira é vislumbrado como sendo a coisa mais próxima.

Sambodh Naseeb


VOANDO



Toda a paz que você busca está muito perto.
Mas a mente está sempre voando.
A vida está aqui.

A mente está sempre lá.

Sambodh Naseeb

IN - DICA


VIDA


UNIDADE NA DIVERSIDADE


BAMBU



Ninguém vive No passado.
Pensa-se sobre o passado.
Ninguém vive no futuro.
Pensa-se sobre o futuro.

Sambodh Naseeb


sexta-feira, 14 de julho de 2017

INFINITO




"O infinito ama se olhar".

Sambodh Naseeb

FORÇA DA VIDA



A consciência impessoal 
ou Força Universal da Vida
anima todos os seres.
Consciência é tudo. 
E tudo isso é um conceito.
O que é simplesmente É.

Sambodh Naseeb

ENTREGUE




"Você já está entregue.
Mas tem um pensamento que não sabe disso".

Sambodh Naseeb

SATSANG DERRETE



Satsang é a resposta para todas as perguntas.
Mas não por responder as perguntas.
Porque derrete o perguntador.

Sambodh Naseeb

segunda-feira, 8 de maio de 2017

QUEM ÉS?



Você é um sujeito, uma consciência, e não um objeto chamado corpo. Se você não é uma “coisa”, um objeto, aquilo que aparece e desaparece, mesmo um pensamento que surge e desaparece, se você em essência percebe e está além das coisas, transcende a aparência, a quem a aparência pode perturbar? Só pode perturbar de verdade uma ideia que você tem de você. Essa ideia que nós temos de nós mesmos, a identidade que nos concebemos existir como "eu", damos o nome de ego.
A aparência o perturba quando você se identifica com alguma coisa que não é você, ou seja, quando você se envolve com o pensamento e assume uma identidade no tempo (mente) e no espaço (corpo).
Identifica-se com o personagem - o avatar. O personagem torna-se então a sua verdadeira identidade - enquanto esquece daquilo ainda mais sutil que testemunha o personagem.
Sambodh Naseeb

terça-feira, 25 de abril de 2017

SATSANG



Depois de meditar e fazer muita terapia 9 anos com Osho, conheci em 2001 o Advaita Vedanta, e foi com Burt Harding que dei os iniciais passos, um canadense muito bacana que dá satsangs no Canadá.
Aqui vai um trecho dele.

"Contudo esta consciência não é um pensamento, não um conceito e definitivamente não uma imagem. É tudo abrangente, inteiro, sem uma fronteira ou limite. Ela desafia a explicação e não tem começo nem fim, e, no entanto, sabemos que ela é real (ea única coisa real) porque é através dela que existimos como seres humanos.
No momento em que você perceber que sua verdadeira natureza é a consciência e não há "eu", mas só parece assim por causa da consciência, então atingimos uma bomba que pode abalar a nossa fundação da crença do "eu" (ego). Se isso te abalar o suficiente para ver a incrível maravilha e mistério desta vasta inteligência conhecida como consciência pura, então chegamos a uma realização de quem realmente somos.
É esta percepção de que somos consciência pura e não indivíduos separados que nos liberta e desperta uma paz e um amor que está além da descrição. Você NÃO é quem você pensou que era. Você é esta consciência eterna que nunca nasceu e nunca morrerá.
É aqui, ao viver esta verdade que vemos a Unicidade deles - sujeito e objeto são um. O objeto humano parece real por causa do sujeito Ser. Agora, o Ser Humano integra-se e alcança o equilíbrio, a harmonia e a clareza conhecidos como despertar espiritual."
(Burt Harding)


segunda-feira, 24 de abril de 2017

PODER




As palavras quando se tornam vivas são amorosas e adquirem um poder muito intenso.

Sambodh Naseeb 

PERFEIÇÃO



Há ocasiões na vida da gente em que é muito difícil compreender que tudo é perfeito ou o que seja perfeição. Nos momentos de separação de uma pessoa amada, morte de pessoas queridas, em um acidente inesperado, na perda financeira... Há inúmeros momentos em que ficamos descrentes de que o universo quer realmente que acordemos do sonho do sofrimento e sejamos felizes. Parece exatamente o oposto. Existem fases em que, inclusive, parece haver uma conspiração malévola para tudo dar errado. Mas é assim que é, e estes momentos estão incluídos, para que possamos compreender alguma coisa, e de certo modo este compreender será a descoberta de mim mesmo profundamente, e uma entrega que se faz naturalmente. Todo convite está chegando de você mesmo, em essência

Sambodh Naseeb

MOMENTO PERFEITO




Você não pode estar em nenhum lugar que não seja um campo de aprendizado. A vida é aparentemente uma escola. Mas ela não escolhe apenas espiritualistas ou místicos, sábios e meditadores. Não! Ela cria variados papéis, onde cada personagem é apresentado ao seu posto. Em verdade não há papéis inferiores e superiores. É impossível você se comparar a outro alguém devido a sua unicidade e singularidade. Lembre-se: a vida é imparcial, e todos estamos sendo brindados com lições a cada momento, durante uma conversa, uma viagem, uma caminhada, em um erro, em um acerto, em um acidente, em uma festa, no sexo, na contemplação, nos momentos alegres, nos momentos tristes, no desespero e no estado de graça.


E como a premissa básica é que tudo é perfeito, então a proposta é olhar para tudo sob esta ótica, para que possamos encontrar a pérola da sabedoria no meio, às vezes, de muita aparente escuridão e limitação. 

Sambodh Naseeb

quinta-feira, 20 de abril de 2017

DILEMA





CONVITE



Existe um reconhecimento que pode mudar tudo. Há uma inteligência-consciência que está sempre junto com você, sempre junto com seu corpo e sua mente. E ela pode acordar bem. Esta inteligência é essencialmente a substância do nosso ser amoroso e consciente. Ela não está separada de você e de todas as coisas. O convite do autoconhecimento é reconhecer esta inteligência-consciência como sempre presente em toda experiência.

Sambodh Naseeb 

quarta-feira, 12 de abril de 2017

PRESENÇA EU SOU



Meditação é reconhecer o poder daquele que olha, este que você chama de "você". Uma olhada mais profunda e este "você" que olha não são mais seus olhos, mas a Consciência Sagrada.
Presença Eu Sou.
Nada.
Everything.
Nem nada, nem tudo.
Nem everything.
Nem.
Sambodh Naseeb

domingo, 9 de abril de 2017

TOLO



O tolo escapa das estratégias dos espertos, simplesmente porque ele não tem estratégia.

Sambodh Naseeb

domingo, 2 de abril de 2017

UNIDADE



Todos nós pensamos que nosso eu está dentro do corpo, mais precisamente dentro da cabeça, da mente. Depois da meditação de ontem, vejo uma nova perspectiva: a de que o corpo e a mente aparecem em mim, na consciência que eu sou, como as ondas aparecem no mar, ou como o vento aparece no ar. As ondas são o movimento do mar, assim como o vento é o movimento do ar. E faz completo sentido. Mas muda tudo, não é mesmo? Põe tudo que a gente aprendeu de cabeça pra baixo.

Sem dúvida. Uma correção, em tempo: na verdade está colocando você de cabeça para cima. De cabeça para baixo é como nos colocaram no mundo!


Sim, é verdade! (risos) Mais uma pergunta: como entro em contato com essa consciência que eu nunca posso perder?

Quem é você? Você é diferente dessa consciência? Quem entraria em contato? O pensamento? Fora o pensamento/mente, o que mais poderia? Veja claramente: só há consciência e ela é você. Logo, você apenas se dá conta de que é ela, porque não existem duas coisas. Você é ela! Se você se imagina uma mente que fará contato com a consciência, então você cai em erro novamente, imaginando que a mente tem vida própria separada de você.

A mente não entra em contato com a consciência, pois ela é os pontos de vista que aparecem na consciência. A mente não tem poder, a não ser pela consciência, do mesmo modo que a lua não tem luz, a não ser pelo brilho do sol. Ao identificarmo-nos com os pontos de vista, damos poder a uma energia mental. Na clareza, consciência reconhece a si mesma como consciência. Dessa maneira, o véu de maya ou hipnose divina é vista na luz da compreensão e você se liberta da ideia de que é um ser separado, tal como um ego cheio de medo e carência, que se imagina só no universo.

O corpo é formado pelo universo. Sem o ar, sem o fogo, sem a terra, sem o espaço, o seu corpo não existiria. Sem amor, sem apoio, sem água, sem cultura, você não seria você.

Você como expressão corpo/mente é filho do universo.

Tudo é uma grande tapeçaria, um todo orgânico inteligente. A mente vive a ilusão de que existe separada da vida. Mas a Vida vive a Vida através do organismo corpo/mente.  Vida sempre vive a Vida. Nada acontece. Apenas na mente. Unidade é sempre Unidade.


Do livro MOMENTO SAGRADO - Sambodh Naseeb


NADA



Mas que Nada é esse,
se tudo surge do Nada?

Sambodh Naseeb

quinta-feira, 30 de março de 2017

VOCÊ NÃO É SUA MENTE



Os sábios ensinam: você não é sua mente. Verifique: se te sentes cansado, vê se é o corpo ou você que está cansado? Se te sentes triste, vê se é a sua mente ou você que está triste.
Os sábios nos ensinam claramente que o Ser real não pode sair da bem aventurança. A ideia de ser alguém separado do Todo é que sente-se cansada e triste. Uma ideia aparecendo e desaparecendo. Vai desaparecer como todas as ideias.
Tornemo-nos vigilantes para o fato de que a consciência que eu sou, por não ser uma ideia, não pode ser dividida, e portanto, não está no campo dual da separação entre "sujeito eu" versus "objeto mundo".
Eu e o mundo. Eu e as pessoas. Eu e as ideias. Eu e a minha vida. Há sempre esta separação. Eu e a vida, na verdade, é VIDA. "Eu" estou implícito nesta Vida. Não há eu separado da vida. Eu é um pensamento, que também é Vida, que também aparece na Vida.
A Vida cria a vida. Eu sou Vida. EU SOU. Este EU SOU é consciência.
A ideia ou sentimento do EU SOU separado da vida é conceitual e energético. O ego é uma contração energética também. Aparece e desaparece. O que somos não desaparece, pois nunca apareceu, em primeiro lugar. Como consciência pode existir ou aparecer? O que aparece, desaparece. Consciência é atemporal.
Tudo que parece existir é simplesmente uma modulação da própria consciência. Mas ela nunca desaparece, porque tudo é ela, tudo é consciência, todas mudanças são nela mesma. Uma ideia acrescida de uma contração energética - isto é que é o falso eu, o falso centro, o ego, a mente egóica.
Idéias e contrações. Idéias na mente e contrações no corpo. Mas onde tudo isto está acontecendo? Neste experienciar. Agora. E quem experiencia este momento? Veja: Ninguém. Como assim?
Ora, quem sou eu? Algo definível e fixo ou uma presença inteligente indefinível e invisível que observa o corpo/mente mudar? Você diz "eu estou triste" e depois diz "eu estou alegre". O que há de comum nessas duas proposições? EU.
Logo, o eu REAL não pode ser triste nem alegre. Ele não pode ser isto nem aquilo. Ele não pode ser nenhuma descrição da mente, porque toda a linguagem está no campo da dualidade certo/errado, feio/bonito, bom/mal, perfeito/imperfeito.
O eu deve estar ali quando a experiência do alegre ou do triste está acontecendo. A isto chamamos consciência. Logo, eu real é consciência. O pensamento não é o eu. Porque o pensamento surge na consciência e depois desaparece. Mas a consciência pura deve permanecer sempre, mesmo que não existam pensamentos. Pois a consciência pura é o sagrado, o atemporal, além da mente.
Antes, o eu era considerado um apanhado de pensamentos na sua mente, junto com sentimentos, emoções e sensações de você mesmo. Isso era sua ideia de eu. A ideia que aprendemos.
Você não é triste nem alegre porque você não existe na mente. Você na mente, este você como você se pensa, é realmente um você inexistente a não ser no pensamento, todo feito da sua riquíssima imaginação. E todos em sua volta criam uma nova verão personalizada de você. Como você pode confiar em algo que não existe? Aí você dá uma gargalhada e vive este momento sendo o momento, apenas o momento. O que quer que aconteça deixa acontecer. Quem é você? O ponto é: você não é uma ideia, porque uma ideia é vista por você. Você vem antes de uma ideia. Quem vem antes de uma ideia? Verifique por si mesmo e verá que aquilo que vem antes de qualquer ideia só pode ser você.
Sambodh Naseeb

domingo, 26 de março de 2017

O ÚLTIMO ENSINAMENTO




- O que te traz aqui?
- Gostaria de ouvir algo de você que pudesse me chacoalhar um pouco.
- Como assim? 
- O que você ensina?
- Não há ensinamento.
- Eu sei que há. Você mente.
- Tudo que parece ser um ensinamento são apenas preliminares. O último ensinamento não é uma experiência. Não dualidade não é uma experiência. Se você procura uma experiência, procura entretenimento na mente, no reforço da mente. Mas se você procura o eu, encontre o não eu. E se procuras ensinamentos, repouse em silêncio.


Sambodh Naseeb

sábado, 25 de março de 2017

AGRADOS




Se você está sempre agradecido,
ninguém "precisa" te agradar.
Sentir-se agradado, 
é desfrutar e perceber os agrados do Agora.

Sambodh Naseeb

QUEM ESTÁ DENTRO?





Observe que a mente imagina estar escolhendo.
O observador, o que você é, consciência, é que observa as escolhas.
É por isso que se diz, em não dualidade, que "você" não escolhe.
Você, como Vacuidade, não escolhe.
e "você, no relativo, não existe independente da consciência.
Escolhas tem de acontecer através do mecanismo corpomente.
Observe as escolhas acontecendo.
Observe que escolhas são feitas, espontaneamente.
Observe o personagem-você.
Observe este que faz, que conta histórias, que julga, que é capaz de muitas coisas.
Lembre-se de que tudo que você pensa é o personagem pensando.
Você é a natureza livre que se identificou com o personagem.
Você apenas não sabe que é livre.
Muito tempo treinando de um jeito nós esquecemos.
Treinamos de um jeito pobre.
O sagrado virou palavra morta.
Reconhecer o espaço consciente que observa o personagem-você é a essência da meditação.
Você observado é interdependente com toda a experiência.
Você que observa é independente de toda experiência.

Sua mente observando e julgando é parte do objeto observado.
Eles são Um.
Desapego é simplesmente ver que o eu separado do mundo é uma farsa.
Entre no próprio nada.
Não existe VOCÊ separado da experiência.
E aquilo que observa a experiência, quem é? O que é?

Observe bem fundo ISTO.
Meditação é viver por ISTO.
E ver que este nada, ISTO, tem dentro o infinito sagrado do amor.
O desaparecimento da hipnose egóica.
Daquela mente com medo da vida.
MEDO É MENTE. MENTE É MEDO.
Daquela mente que se vê escolhedora de sua vida.

Mas algo acontece com alguns.
O jogo místico acontece.
Ele não é buscado, simplesmente é jogado em você.
Não há escolha.
 É o aparecimento singular e impermanente de uma vida humana,
 que convida este jogo de esconde-esconde da consciência,
a ser descoberto enquanto jogo cósmico, dança de shiva,
satchitananda, despertar.

Quem é você?
Quem está dentro? 



Sambodh Naseeb

TUDO O MAIS É PERFUME


Há uma natureza livre que passeia por confusões e identidades. 
Quem é você aponta para esta natureza básica.
Aprender a reconhecer a natureza básica é básico.
Tudo o mais é perfume.

Sambodh Naseeb

sexta-feira, 24 de março de 2017

TUDO É UM




Quando dizemos "ninguém é superior ou inferior" nós temos de estar olhando para algo que transcende a forma. Ao olharmos para a forma, haverá uma correspondência dessa forma na mente em pensamento. Exemplo: ao dizermos que não há nada para reencarnar, do mesmo jeito, teremos de olhar além da forma, porque na forma tudo reencarna, no sentido de que nenhuma energia desaparece, apenas se transforma. Meditação é uma visão de Amor “além” da forma. Um jeito de olhar inocentemente, amorosamente, docemente. A graça que vem disso é um apaziguamento que dá paz à forma (corpo/mente), beleza à forma, e nutre-a com o alimento do amor. Por quê? Porque, enfim, a forma não está separada da não-forma. 
Tudo é Um. 

Sambodh Naseeb

quinta-feira, 23 de março de 2017

QUEM É VOCÊ?





Quem é você?
Uma presença ou uma pessoa?

Sambodh Naseeb

DIVINO AGORA




Observe e veja que toda a experiência é observada pela consciência.
Este pensar acontece a você, mas não COM você.
Este sentir acontece a você, mas não COM você.

Sambodh Naseeb