domingo, 1 de outubro de 2017

VIDA CONSCIENTE


Este ensinamento Advaita que compartilhamos aqui no Bio.Zen aponta para uma distinção básica entre Consciência e Ego/Pensamento, entre o que é real o que não é. Muitas vezes chamado de Caminho Direto, é o reconhecimento de que somos todos um campo não dual de pura consciência, sem fronteiras. Uma inteligência sem forma onde todas as formas aparentemente surgem e desaparecem.
Do mesmo modo que o oceano e as ondas, essa inteligência pura se manifesta em um reflexo chamado mente. Dessa forma, aparece o mundo de Maya, a aparente dualidade-diversidade, os aparentes espíritos, ego, separação entre alegria e tristeza, iluminação e ignorância, e tudo mais Todos os opostos são aparentes, e fazem parte do mundo da onda.
No mundo da onda tudo está sob o império do tempo. Tudo regido pela impermanência. É a vida que conhecemos, o mundo do movimento e da mudança. Por outro lado, o mundo do oceano é profundo, quieto, silencioso. O fundo do mar é cheio de mistérios. O oceano está em toda onda porque a onda veio dele. Em verdade, a onda é uma forma diferente do oceano se manifestar. Tudo que vemos aqui é um grande filme cósmico que parece acontecer aos seres que moram no tempo. O que é importante saber é que tudo isso é apenas um movimento da energia cósmica, como num filme, com os aparentes mundos e os aparentes seres que vivem nesses mundos.
Ser Consciência é simplesmente SER. Se sofrimento acontece, é isto. Se alegria acontece, é isto. Você não cria personalidade fixa, rígida. Você é o Agora. Você é simplesmente uma presença fluida, como a água. Você como consciência pura pode tomar várias cores. (Sabendo profundamente que jamais nenhuma cor e nenhum sofrimento toca sua essência.) Se o sofrimento é parte do sonho, este algo que tem feito algum sofrimento em você é também parte do mundo de sonho, incluindo quem você pensa que é.
Mas o oceano cria a onda para que a onda se desmanchar e virar outra onda. Esta é a dança do oceano, que sabe que nada é perdido quando uma onda se vai e desaparece. É a própria natureza do oceano que permite que uma onda suba e outra desça.
Uma pessoa é uma onda no oceano da Vida.
Uma pessoa está sempre com medo das mudanças. Ela todo tempo parece ter que evitar que a vida a desmanche, que a vida a provoque. E como ela (onda) é feita de cada pedacinho da vida, quando alguém que amamos vai embora, sentimos como se fosse dentro da gente. E sentimos assim porque na verdade somos um pouco de tudo daquilo. Nós somos a Vida. Aquela pessoa nos constituiu também. Sofremos porque somos todos da mesma essência, somos todos feitos de amor.
A pessoa, o ego, a mente, tenta evitar a todo custo qualquer demolição. Mas o fato é que no desenho da vida "demolir" quem você pensa que é, é o norte do ensinamento. A ideia de “você em limitação” um dia vai ser demolida. Porque é falsa. Foi criada na limitação. O que foi criado será descriado. E a sua mente tenta ser forte para aguentar a pressão. É o que todos nós tentamos fazer. "Seja forte", é o que se costuma ouvir como conselho.
Mas há uma outra via para olhar isto: através da entrega e da aceitação Aqueles que "viram" simplesmente se entregam ao fluxo. O ego resistirá à demolição. Observe em paz. Tudo que acontece é simplesmente para desconstruir a ideia de se ser o que a mente nos diz.
Se você se reconhece como mar, as suas ondas agora são pura aventura!

Sambodh Naseeb

Nenhum comentário: