domingo, 26 de fevereiro de 2012

O CAMINHO


Tudo aquilo que você se identifica, você incorpora em seu Eu. Lembre-se de que a verdadeira religiosidade, a genuína espiritualidade, é revelar a você sua universalidade. O Ser é universal, e ele é você agora. Mas estamos hipnotizados. Esses tempos que estamos vivendo são propícios para o homem encontrar seu verdadeiro Eu. O eu que nós pensamos ser é limitado aos pensamentos do que somos. Mas pensamentos são produto da cultura humana. O que há além da cultura humana ? De onde vem todo o conhecimento ? De onde vem a cultura humana ? De onde vem todas as informações que recebemos como inspiração, para todas as nossas invenções, para toda a arte, para tudo que acontece.de onde vem todo o universo ? De onde vem a vida ? Ninguém parece poder explicar...

Estas são perguntas dos que já a estão no Caminho. O Caminho da meditação é uma busca do Eu real, daquilo que está por trás das máscaras, daquilo que não é parte do filme criado; porque o filme muda, o filme passa, mas o vazio não passa, o Vazio Criativo permanece vazio mesmo no meio do mundo, e permanece Criativo na eternidade. Este mundo que vivemos está cheio de vazio, dizem os modernos físicos quânticos. O próprio São Tomás, na Teologia Cristã, se refere a este ponto assim, no seu Summa Contra Gentiles (1:14, 15):


"Deus não se move de maneira alguma e, portanto, não pode ser medido pelo tempo; tampouco existe "antes ou depois" nem já não existe depois de haver existido, nem pode ser encontrada n’Ele nenhuma sucessão...mas tem a totalidade da sua existência simultaneamente; e ssa é a natureza da eternidade."


A essência de todas as religiões está na sabedoria perene de que tudo é uma emanação daquilo que não aparece. Assim como a ponta do dedo não pode tocar a si mesma, do mesmo modo Consciência ou Deus no seu nível absoluto não pode ser definido porque não há ninguém a definir. Quem definiria, se para definir precisamos da mente, que é um instrumento da matéria sutil (energia) e densa (cérebro). A mente não pode ver além de si mesma. Assim como quando você programa seu computador. A mente racional é um computador operado pelo cérebro. Ela regula o mecanismo natural de sobrevivência do corpo, buscando equilíbrio e prazer.


O vedantista Ramana Maharshi, sábio iluminado indiano que viveu no século passado, lembra a física moderna com seus dizeres:


"Fora de nós, onde está o tempo e onde está o espaço ? Se somos corpos, estamos envolvidos no tempo e no espaço, mas será que somos mesmo ? Somos Um e idêntico Agora, então, para sempre, aqui, ali, e em toda parte. Por conseguinte, nós, Seres sem tempo e sem espaço, estamos e somos Um Eu apenas, aqui e agora, e só."

Tinha um mestre zen chamado Huang Po, que dizia algo bem semelhante: "O tempo sem pricípio e o momento presente são o mesmo... Temos apenas de compreender que o tempo não tem existência real".

SAMBODH NASEEB

Nenhum comentário: