sábado, 21 de abril de 2012

JANTAR SOZINHO NÃO TEM GRAÇA

KW:Se você é o Um e – enfastiado da mais pura exuberância, plenitude, superabundância – quer jogar, alegrar-se, divertir-se, então, primeiro, deve manifestar "os muitos", "a variedade da manifestação", "a criação". E depois, em segundo lugar, esquecer-se que é isso -os Muitos. De outro modo, não há jogo. Criação (manifestação, encarnação) é o grande Jogo do Um fazendo de conta que é o aparente, por puro esporte e diversão. P: Mas não é sempre divertido. KW: Bem, sim e não. O mundo manifesto é um mundo de opostos – de prazer versus dor, acima versus abaixo, bem versus mal, sujeito versus objeto, luz versus sombra. Mas se você quer jogar o grande Jogo Cósmico, aquele que você mesmo criou, o que mais pode fazer? Se não há divisões, nem jogadores, nem sofrimento e nem Muito, então você simplesmente se mantém como o Um e Único, Solitário e Indiferente. Mas jantar sozinho não tem graça. KEN WILBER

Nenhum comentário: