segunda-feira, 20 de outubro de 2014

SILÊNCIO COLORIDO





A chuva cai e eu olho o balançar das árvores, passando a ter mais certeza da imensa transparência - e os versos que outrora cantei ofereço de graça a quem os encontrar, porque é agora que os verdadeiros versos são ditos e encaixados, agora que são provados com todo o sabor e volúpia, e, assim, neste total momento de nudez, provoco a imensidão luminosa do amor e da verdade que faz de cada instante uma doçura, um acalanto, um aconchego, um silêncio colorido.

Sambodh Naseeb 

Nenhum comentário: