sexta-feira, 22 de junho de 2018

O FIM DA BUSCA



Alguém recentemente me escreveu para perguntar minha opinião sobre a busca. Ele também disse que, no que diz respeito à libertação, há algumas pessoas que ele considera 'autoridades' sobre o assunto, ele mencionou Ramana e Adi Da. Aqui está a minha resposta para ele.
Aqui está a minha opinião e visão sobre a busca. O fim da busca significa o fim de procurar em todos esses livros por alguma autoridade para me contar sobre minha própria experiência. Esses livros acabaram para mim, aquele Buda está morto. O fim da busca significa o fim da ideia de que me falta algo e Ramana ou Adi Da, ou qualquer outra pessoa, tem algo assim. O fim da busca significa o fim de precisar de algum tipo de novo estado ou experiência que seja extraordinário. Esse desejo ou necessidade, em si mesmo , é escravidão. Eu tive muitas experiências místicas incríveis, elas não significam nada para mim agora.
O fim da busca é o fim do filosofar. É o fim de tentar alcançar, alcançar ou compreender algo sobre a vida ou a iluminação através da mente, lendo, observando, etc. Filosofia e compreensão mental não são liberdade.
O fim da busca é o fim do devir sem fim. Aqui e agora, como eu sou, a consciência comum, Sat Chit Ananda, é liberdade.
Não é Ramana, não é Adi Da e, se for honesto, devo dizer que não tenho idéia de qual é a experiência deles de consciência. Ramana e Adi Da são apenas pensamentos, em minha mente, eles não são verdade. E se for ainda mais honesto, devo dizer que esses pensamentos são incompletos e falsos - filtrados pelo desejo, colocando essas pessoas em um pedestal incrivelmente alto e sentimentos de falta e indignidade, tudo isso é ego - eles não tocam a verdade.
Por outro lado, eu sou a verdade. Desde que se olhe para qualquer outra pessoa como uma autoridade, a pessoa se compara e se descobre de algum modo ausente. Eu não estou faltando.
Eu costumava ler muitos livros espirituais também, muitos anos atrás. A liberdade não está em nenhum deles. Na verdade, eu diria que o oposto é verdadeiro. Ler continuamente esses livros manterá alguém comparando a experiência atual com algum ideal conceitual, encontrando-se carente e propagando-se buscando para sempre. Na minha opinião e experiência, é necessário um professor vivo para quase todos. Um professor de verdade vai cortar sua cabeça. A cabeça é todos aqueles milhões de conceitos espirituais que nunca terminam e nunca se resolvem, colhidos da leitura de livros espirituais e de outros samskaras (impressões mentais) culturais, religiosas e sociais. A cabeça é a crença de que alguém é uma autoridade em você. E por causa de toda a leitura, a mente acredita que está faltando alguma coisa e assim naturalmente continua procurando, geralmente para sempre. Mas você não está faltando e você não está buscando. É apenas a mente que parece estar procurando.
Eu não me importo em obter nada por causa de qualquer falta percebida. Eu não me comparo com ninguém. Então, o que há para procurar? O que mais posso querer ou precisar?
Salvadore Poe

Nenhum comentário: