quarta-feira, 30 de abril de 2014

A LINGUAGEM ZEN DO AMOR






Ah, triste vício do pensamento este de encontrar razões! O amor não tem razão nenhuma! Ele simplesmente vem. Nunca sabemos como somos visitados, nem quanto dura, nem quanto pesa, ou como se veste. Qual o peso do amor, ou seu jeito, ou sua forma, ou qual sua duração quando fala comigo em línguas que desconheço? A linguagem do amor é o próprio amor: diz sem dizer nada, rouba contornos sem pedir licença, e deixa seu rastro de surpresa por onde passa com bocas boquiabertas pelo susto, posto que não se molda em qualquer previsão e não cabe em nenhuma mente que pergunta o por quê.

Sambodh Naseeb

Nenhum comentário: