domingo, 4 de agosto de 2013

A LIBERDADE DE SATSANG




Em satsang
ao sentir um carinho por seu cãozinho
a pergunta é: - Quem sente este carinho?

Em satsang
nos damos conta de que o eu é
Deus-Consciência- Amor-Eu-Presença-Espírito.
Aquele que ouviu o latido é o mesmo que latiu.
Consciência está presente em ambos.
Eu e o mundo somos intrinsecamente a mesma unidade.

Mas "eu e o mundo" somos aparências.
Toda a aparência não pode ser a Fonte, estando sujeita à impermanência
Veja: uma aparência não existe em SI.
Uma aparência só existe no contraste.
O forte não existe sem o fraco.
Nem o sucesso sem o fracasso.

Em satsang
podemos ver as aparências como provisórias e construídas.
Podemos ver a liberdade por trás de todas as construções da mente.
Podemos ver que já somos a própria iluminação acontecendo incessantemente à luz da lucidez.

Sambodh Naseeb

Nenhum comentário: